CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2019
ULTIMA NOTÍCIA:
Kings Sneakers apresenta coleção outono/inverno 2019
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Economia
  Economia
 
Novo governo Onyx diz que Bolsonaro se equivocou e que não haverá aumento de imposto
Data Publicação:04/01/2019
O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta sexta-feira (4) que o presidente Jair Bolsonaro se "equivocou" e que um decreto do governo não prevê o aumento de imposto.

Mais cedo, nesta sexta, Bolsonaro afirmou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciaria a "possibilidade" de reduzir a alíquota máxima do Imposto de Renda. Disse também que o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) seria aumentado.

Bolsonaro sancionou a lei que prorroga até 2023 o incentivo fiscal concedido a empresas nas áreas da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Segundo o ministro, ao sancionar a lei, Bolsonaro assinou um decreto que dá a garantia para a execução dos benefícios fiscais.

Após a fala de Bolsonaro sobre o aumento do IOF e a mudança no Imposto de Renda, a Receita Federal informou que não haverá aumento de imposto e que uma eventual alteração na tabela do IR só será discutida "posteriormente" e "no tempo correto".

De acordo com a Consultoria de Orçamento da Câmara, a renúncia fiscal com a prorrogação dos incentivos fiscais na Sudam e na Sudene pode chegar a R$ 10 bilhões. Segundo o ministro da Casa Civil, o governo encontrou uma solução para compensar a prorrogação de benefícios, que não exige o aumento de impostos.

'Pauta-bomba'

Embora Bolsonaro tenha chamado o projeto sobre benefícios fiscais de "pauta-bomba", Onyx explicou que o governo levou em conta o retorno do investimento nas regiões Nortes e Nordeste ao sancionar a lei.

O termo "pauta-bomba" costuma ser utilizado em referência a projetos que provocam aumento nas despesas do governo.

"Para cada real concedido de subsídio lá na Sudam e na Sudene, em média, são mais de R$ 12 em investimentos. Então, tem uma significação importante na geração de emprego, renda e na continuidade de investimentos importantes para a região Nordeste e para a região Norte”, declarou.

Onyx reclamou do fato de o ex-presidente Michel Temer ter deixado para o novo governo a sanção do projeto, aprovado pelo Congresso no ano passado.

Imposto de Renda

Sobre as declarações de Bolsonaro sobre o Imposto de Renda, Onyx disse que essa é uma tese já tratada durante a campanha, mas que só será possível quando o Brasil atingir um equilíbrio fiscal.

O ministro disse que não sabe quando isso acontecerá, que as contas estão sob responsabilidade de Paulo Guedes.

“É evidente que nos precisamos ter um tratamento mais equânime (...) Por isso que nós tratamos com um conceito de dar um tratamento mais equilibrado pra sociedade brasileira e nós vamos trabalhar, depois de feito um equilíbrio fiscal do Brasil”, disse.

Previdência Social

Onyx também comentou sobre “ideia inicial” citado por Bolsonaro de tentar aprovar uma reforma da Previdência com um aumento gradativo da idade mínima para aposentadoria de 62 anos para homens e 57 para mulheres.

Conforme o ministro, ao citar os números, Bolsonaro quis “dar uma tranquilidade” para as pessoas de que a reforma terá um “olhar humano”.

“Quando o presidente fala alguns números e falou no número de 57 e 62, ele quis dar uma tranquilidade para as pessoas, que não vai haver uma ruptura, que vai haver uma transição lenta e gradual, tendo um olhar humano para a reforma da Previdência”, afirmou o chefe da Casa Civil.

O ministro disse que em duas semanas será feita uma apresentação da reforma a Bolsonaro, para ele decidir o melhor modelo.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- IPI sobre eletrodomésticos deverá ser extendido pelo governo
- Açúcar, cereais e óleos estimulam aumento dos preços dos alimentos no mundo
- Incentivos aos produtos importados prejudicam crescimento da economia
- Controlar entrada de capital especulativo pode conter valorização do real
- Copom deve reduzir Selic para 10% ao ano nesta semana, preveem analistas
- Aposentadoria no serviço público terá o mesmo valor do teto do INSS
- Previsão de crescimento da economia é mantida em 3,3% para 2012
- Fabricantes apostam na diversidade de produtos e contenção dos preços para Páscoa
- Oi é multada em R$ 1 milhão por corte no serviço de telefonia fixa
- Aposentados terão direito a mais três revisões
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.