CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 22 DE OUTUBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Bolsonaro consegue apoio robusto nas ruas antes do segundo turno
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Economia
  Economia
 
Trump prorroga isenções de tarifas sobre aço e alumínio
Data Publicação:01/05/2018
O presidente americano, Donald Trump, decidiu manter até o dia 1º de junho as isenções provisórias de tarifas alfandegárias sobre as importações de aço e alumínio provenientes da União Europeia, do Canadá e do México, informou a Casa Branca nesta segunda-feira.

"O governo (de Trump) prorrogou por 30 dias as negociações com Canadá, México e União Europeia. Em todas essas negociações, a administração mantém o foco nas cotas que restringirão as importações (...) e preservarão a segurança nacional", apontou a presidência em comunicado.

Trump havia promulgado, no dia 8 de março, tarifas de 25% sobre as importações de aço e de 10% sobre as do alumínio, mas isentou Canadá e México, de forma imediata, e a União Europeia, no final de março.

As isenções venciam em 1º de maio.

No caso de Canadá e México, Washington vinculou a isenção definitiva das tarifas a uma renegociação favorável do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA).

A decisão ocorre no momento em que os europeus multiplicam seus apelos por uma isenção definitiva destas tarifas e ameaçam retaliar.

"Somos pacientes, mas também estamos preparados", declarou a porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, acrescentando que "há contatos em todos os níveis".

Na segunda-feira, Washington anunciou que a Coreia do Sul finalmente concordou em reduzir suas exportações de aço para os Estados Unidos e abrir ainda mais seu mercado aos automóveis americanos.

Também informou um "acordo de princípios" com Brasil, Argentina e Austrália, cujos "detalhes serão conhecidos em breve.

Os europeus acusam a China, que lidera a produção de aço em nível mundial e é apontada por subsidiar sua indústria, pela superprodução no setor.

Já Pequim denunciou na Organização Mundial do Comércio (OMC) as tarifas que sofre por parte de Washington contra suas exportações de aço.

No domingo, o presidente francês, Emmanuel Macron, a chanceler alemã, Angela Merkel, e a primeiro-ministra britânica, Theresa May, voltaram a advertir os Estados Unidos contra sanções comerciais, alertando que a UE está "pronta para reagir, se necessário, de forma eficaz e com celeridade".

Bruxelas tem preparado sua resposta aos Estados Unidos, mas com medidas que respeitam as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC).

A medida mais imediata seria taxar dezenas de produtos americanos emblemáticos, como tabaco, bourbon, jeans ou motocicletas.

Embora em abril os representantes dos países da UE tenham aprovado uma lista de produtos, ainda faltam algumas semanas para que a medida possa ser aplicada.

Bruxelas também poderia apresentar uma queixa à OMC, argumentando que as tarifas americanas, justificadas em nome da segurança nacional, servem, na verdade, para dar vantagem para suas empresas.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Banqueiro vê rali no mercado mesmo se Haddad ganhar eleições
- Jack Ma reconsidera promessa de criar 1 milhão de postos de trabalho nos EUA
- Dólar deve voltar a oscilar na próxima semana, afirmam analistas
- Economia brasileira cresce 0,2% no segundo trimestre em relação ao primeiro
- Dólar sobe 1,5%, encosta em R$4,15 com cena eleitoral e tem segunda maior cotação da história
- Prepare o coração: dólar já está mais volátil do que nas últimas três eleições
- Cobalto é o novo ouro e escassez já preocupa mineradores; entenda
- Saiba qual será o salário mínimo para 2019, de acordo com o governo
- A fabricante de alimentos Kraft Heinz trará novos produtos para o Brasil
- Dólar comercial atinge maior patamar desde 2016. Entenda a valorização da moeda frente ao real
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.