CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEXTA-FEIRA, 14 DE DEZEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Futuro ministro, Heleno isenta Bolsonaro no caso Coaf: Valor irrisório
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Economia
  Economia
 
Nova tabela do IPRF entra em vigor
Data Publicação:06/01/2014

Já está em vigor a nova tabela de Imposto de Renda. Essa terá a correção de 4,5%. A dedução, com efeito, será para os salários de 2014, mas terão validade para o imposto de renda do ano de 2015. O fato, no entanto, é que, desde 2007, a tabela vem sendo corrigida em 4,5%. A previsão era que em 2010, o parâmetro de correção seria outro. Seja lá como for, por conta da medida Provisória nº 528, então chancelada em 2011, o governo decidiu manter esse percentual para o ano de 2014. Por isso, para os leitores ficarem por dentro do que está ocorrendo, a questão é que a tabela de declaração será a mesma do ano passado, de modo que todos podem ficar mais tranquilos quanto a isso.

Um ponto interessante, em todo o caso, é que as pessoas que ganham até R$ 1.787,77, por mês serão isentas do pagamento do imposto de renda. Aliás, outra coisa que deve ser estudada é a questão da defasagem que, de acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal, deverá no ano de 2014 ficar em torno de 60%. Pesquisas apontam que os brasileiros precisam ficar atentos a esses números.

Em todo o caso, no que tange a inflação, o detalhe é que deve girar em torno de 5,73%. Enquanto que a correção do imposto de renda será, como bem informamos, de 4,5%. O sindicato, por sua vez, também ressaltou que pessoas de renda baixa, que antes não pagavam o tributo, também passaram a colaborar com o IR.

Seja como for, provavelmente os leitores estão se perguntado o motivo dessa correção de 4,5%. Isso ocorre porque o governo tem essa meta em termos de inflação anual.





Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Banqueiro vê rali no mercado mesmo se Haddad ganhar eleições
- Jack Ma reconsidera promessa de criar 1 milhão de postos de trabalho nos EUA
- Dólar deve voltar a oscilar na próxima semana, afirmam analistas
- Economia brasileira cresce 0,2% no segundo trimestre em relação ao primeiro
- Dólar sobe 1,5%, encosta em R$4,15 com cena eleitoral e tem segunda maior cotação da história
- Prepare o coração: dólar já está mais volátil do que nas últimas três eleições
- Cobalto é o novo ouro e escassez já preocupa mineradores; entenda
- Saiba qual será o salário mínimo para 2019, de acordo com o governo
- A fabricante de alimentos Kraft Heinz trará novos produtos para o Brasil
- Dólar comercial atinge maior patamar desde 2016. Entenda a valorização da moeda frente ao real
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.