CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 19 DE NOVEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Pesquisadores criam IA capaz de burlar sistemas de impressão digital
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Economia
  Economia
 
Indústria produz menos e teme queda maior em 2012
Data Publicação:24/11/2011

Presidente da Fiergs, Heitor Müller, falou também sobre o gargalo da infraestrutura e da alta carga tributária

Produção e encomendas no setor industrial estão menores nos últimos meses do ano, informou o presidente da Fiergs, Heitor José Müller, admitindo apreensão em relação ao próximo ano. “Estamos temendo que esta redução se estenda para 2012” , afirmou durante o Tá na Mesa da Federasul nesta quarta-feira (23). No entanto, ele acredita que o Governo Federal está acompanhando esta situação e tomará alguma medida se a situação se agravar.

Da mesma forma, Müller espera um plano de controle contra a tão temida desindustrialização do País. Para ele, a entrada desenfreada de produtos importados, os altos tributos e as elevadas taxas de juros criam uma competição desigual para a indústria brasileira. “Não podemos deixar o Brasil se tornar uma feira de importados. Isso pode até parecer bom para o comércio, em um primeiro momento, mas é um tiro no pé, pois afeta a indústria e consequentemente a renda do consumidor”, afirma.       

O presidente da Fiergs disse ainda que a infraestrutura é um dos problemas mais graves para o desenvolvimento e competitividade da indústria no Rio Grande do Sul, apontando um atraso de mais de dez anos em investimentos sobretudo para as rodovias e portos. “Não temos mais que 400 Km de estradas duplicadas no Estado, não soubemos aproveitar nossas vias fluviais e as ferrovias foram abandonadas”, acrescenta. Para concluir a lista de demandas, Müller citou a educação, lembrando que a escolaridade média do brasileiro ainda é de 7,2 anos. “Defendemos educação de qualidade o que inclui a reciclagem de professores, um sistema de bolsas no exterior e muita atenção ao ensino básico”.   

 

 

 

 

Att.

  
Imprensa Federasul
Coordenação froes, berlato associadas




Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Banqueiro vê rali no mercado mesmo se Haddad ganhar eleições
- Jack Ma reconsidera promessa de criar 1 milhão de postos de trabalho nos EUA
- Dólar deve voltar a oscilar na próxima semana, afirmam analistas
- Economia brasileira cresce 0,2% no segundo trimestre em relação ao primeiro
- Dólar sobe 1,5%, encosta em R$4,15 com cena eleitoral e tem segunda maior cotação da história
- Prepare o coração: dólar já está mais volátil do que nas últimas três eleições
- Cobalto é o novo ouro e escassez já preocupa mineradores; entenda
- Saiba qual será o salário mínimo para 2019, de acordo com o governo
- A fabricante de alimentos Kraft Heinz trará novos produtos para o Brasil
- Dólar comercial atinge maior patamar desde 2016. Entenda a valorização da moeda frente ao real
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.