CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Bumblebee
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Esportes
  Esportes
 
Argentinos relatam agressão de brasileiros
Data Publicação:16/06/2014

O clima de rivalidade entre brasileiros e argentinos se acirrou e acabou em violência, nos últimos momentos do jogo deste domingo, no Maracanã. Dois torcedores da Argentina disseram que foram agredidos por um grupo de cinco brasileiros logo depois do gol da Bósnia. Vicente Cardone, de 32 anos, relatou que ele e seu pai, Carlos Cardone, de 64 anos, levaram chutes e socos do bando, cujos integrantes vestiam camisas da seleção brasileira.

Os agressores não foram identificados pela Polícia Militar, e os argentinos decidiram não registrar a ocorrência. Eles estavam acompanhados da esposa de Vicente, a brasileira Luciana Magalhães, e a irmã do argentino, Belém Cardone.

Segundo Luciana, a discussão começou com o gol de Messi, o segundo da Argentina. Ela afirma que os brasileiros a viram com a camisa do Boca Juniors e, após um bate-boca causado por comparações com o Flamengo, partiram para cima dos argentinos. Luciana quebrou duas unhas tentando apartar a briga.

Segundo Vicente, os policiais agiram rapidamente, mas os agressores conseguiram fugir

“No Brasil é assim, não se pode torcer que fazem essa covardia. Estou com aqui com idoso e duas mulheres”, disse Vicente, transtornado.

O jogo foi marcado por uma intensa troca de provocações entre argentinos e brasileiros, na maioria torcendo para a Bósnia. Durante a partida, mesmo com os bósnios atrás no placar, a torcida local gritava “olé”. 

Em alguns momentos, houve início de confusão, mas os seguranças conseguiram em todas as vezes separar os brigões. Na Copa, não há divisão entre torcedores de seleções diferentes.




Fonte:band



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Diretor do Corinthians analisa dívida da Arena: Na pior das hipóteses, R$ 650 milhões
- Tite não gostaria de encontro com Bolsonaro
- Adoração e crítica a Bolsonaro convivem em frente ao estádio do Palmeiras
- Flamengo sofre virada do Atlético-PR e termina o ano sob vaias da torcida
- Conmebol multa River Plate e confirma final da Libertadores para Madri
- Felipão recebeu oferta de cinco anos para treinar Colômbia
- Dirigente do Sport chama Jardine de estagiário: “Nem sei o nome”
- Palmeiras vence Vasco e conquista décimo título nacional
- Nudez de Ezequiel Garay e mulher em foto bomba nas redes sociais
- São Paulo e Grêmio vencem e se garantem na Libertadores
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.