CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUINTA-FEIRA, 18 DE JULHO DE 2019
ULTIMA NOTÍCIA:
Transtornos psicológicos em adultos são provenientes da infância
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Editorial
  Editorial
 
Celular e Câncer - Ligações Perigosas
Data Publicação:25/05/2012
Por Arq. Aline Mendes


Há algumas semanas foi publicada, no jornal O Dia, de grande circulação no Rio de Janeiro, uma importante matéria. Ela divulga uma pesquisa internacional, supervisionada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que revela a associação entre o celular e o câncer.

A pesquisa focou, em especial, a relação entre a radiação de radiofrequência (tipo de microondas usadas em aparelhos celulares) e os tumores no cérebro e na glândula salivar, confirmando antigas suposições. Não surpreende que a pesquisa tenha sido coordenada por uma pesquisadora da Espanha, berço da geobiologia moderna. Nós, geobiólogos, há anos buscamos alertar nossos clientes para os perigos das microondas. Fico feliz de que o mundo comece a abrir os olhos para este perigo.

A geobiologia, que trata da influência dos ambientes sobre a saúde dos seus habitantes, preocupa-se notadamente com as antenas repetidoras das empresas telefônicas. Isso por que elas não são opcionais, como os aparelhos. E por terem maior potência e emissão permanente, causam danos mais graves e rápidos à saúde.

Os imóveis posicionados alinhados com a antena, em sentido horizontal ou vertical, são os mais afetados. Se você estiver procurando um imóvel para comprar ou alugar, fique atento à existência dessas antenas no entorno. E se puder, evite a colocação de antenas no seu prédio ou muito próximas a ele. Acione advogados, o governo, o ministério público! É possível conseguir isso pelo princípio da precaução, que protege a população de novas tecnologias suspeitas de risco, até que elas se comprovem seguras.

“Nossa mobilização e cobrança pela divulgação de pesquisas acadêmicas sobre este assunto (e não são poucas...) podem ajudar no controle dessas emissões desregradas a que estamos sujeitos, pela ganância das operadoras, que provocam emissões cada vez mais potentes através de suas ERBs (estações rádio-base).” Dora Brasil, arquiteta


Reproduzo abaixo a matéria completa, que é só a ponta do iceberg.



Celular pode ter elo com câncer Cientista defende a ideia de restringir o uso do aparelho por crianças. Pesquisa foi supervisionada pela OMS

Uso do telefone celular pode ter relação com alguns tipos de câncer, afirma estudo internacional que teve a supervisão da Organização Mundial de Saúde (OMS). Conclusões preliminares da pesquisa, divulgadas pelo jornal britânico ‘The Daily Telegraph’, apontam que existe “um risco significativamente maior” de a pessoa ter um tumor cerebral “relacionado ao uso de telefones celulares durante período de dez anos ou mais”, afirma o jornal.

“Estou de acordo, em geral, com a ideia de restringir o uso de celulares por crianças. Mas não iria tão longe em proibir os telefones celulares, já que podem ser uma ferramenta muito importante”, afirma a diretora da pesquisa, Elisabeth Cardis, professora do Centro de Pesquisa em Epidemiologia Ambiental de Barcelona.

Cardis também defende “meios para reduzir a exposição” aos celulares, como o emprego de acessórios que permitem utilizar o telefone sem as mãos, e recomendações em relação ao uso moderado do aparelho. A pesquisadora argumenta que, apesar da “falta de resultados definitivos, vários estudos sugerem um possível efeito de radiação de radiofrequência” gerada por celulares.

Uma porta-voz do Centro de Pesquisa afirmou que o estudo Interphone, coordenado por Cardis, é complexo e só será divulgado no fim do ano. Durante o trabalho, foram realizadas pesquisas em 13 países, onde 12.800 pessoas saudáveis e com tumores foram entrevistadas. O objetivo era investigar se a exposição aos celulares está vinculada a três tipos de tumores cerebrais e um tumor da glândula salivar.

Pesquisas anteriores sobre os efeitos dos celulares na saúde foram pouco conclusivas, mas o projeto supervisionado pela OMS indica que seis em oito estudos nesta linha revelaram maior risco de sofrer de glioma — o tumor cerebral mais comum.

Um porta-voz da Agência de Proteção da Saúde do Reino Unido disse que, oficialmente, “por enquanto, não há provas sólidas” sobre os efeitos nocivos do uso de celulares.

Fonte: Jornal O Dia, Rio de Janeiro, 27/10/2009, página 20.



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Receita informa que carga tributária sobe para 32,38% do PIB 2016
- Auditoria é para todo o tamanho de empresa
- Consumo exagerado de espinafre pode ocasionar danos á saúde
- País precisa proteger melhor seu conhecimento e a propriedade industrial
- BOLÍVAR LAMOUNIER DEFENDE REFORMAS IMEDIATAS NA ECONOMIA BRASILEIRA
- À ESPERA DE UM MILAGRE EM PORTO ALEGRE
- Cinco dicas para fortalecer o uso da rede social empresarial
- Rumo a 1964
- Ao contrário do que relata a mídia, doa~ções do PT foram legais
- E se Dilma falasse "elado"?
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.