CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUARTA-FEIRA, 17 DE OUTUBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Parte do PT está "se lixando" para Haddad, diz Cid Gomes
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / São Paulo
  São Paulo
 
Coordenador de Bolsonaro diz que Foro de São Paulo pode estar envolvido em ataque
Data Publicação:10/09/2018
Na manhã desta segunda-feira (10), o clima em frente ao hospital Albert Einstein, onde está internado o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), é tranquilo. Não há eleitores do candidato no entorno e o paciente praticamente não tem recebido visitantes em seu quarto dia no hospital.

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), coordenador de campanha de Bolsonaro, encontrou-se com o presidente do PSL, Gustavo Bebianno, no hospital. Eles discutiram as prioridades: os rumos da campanha e a pressão que têm feito na Polícia Federal para que investigue o que veem como motivação política do ataque ao presidenciável.

"Bolsonaro é insubstituível. Ele é o símbolo que o povo escolheu para a mudança. Não cogitamos uma substituição. Jair Bolsonaro derrubou o seu sangue pelo Brasil, e agora é a nossa vez. Nós vamos para as ruas", disse. "O general Mourão é extraordinário, mas o que temos neste momento é Bolsonaro na UTI."

Segundo Lorenzoni, países que fazem parte do Foro de São Paulo, que envolve agremiações de esquerda, poderiam estar envolvidos nesse ataque, e os coordenadores de campanha vão pressionar a PF para que isso seja investigado.

"Qual é o último atentado a faca no Brasil? Não existe. No Brasil se mata a bala. Isso precisou de treinamento, de suporte, de apoio. O que foi feito em Juiz de Fora não foi ação isolada de uma pessoa desequilibrada. Entrem na internet e vejam em que países se mata a faca", disse Lorenzoni.

Sobre o quadro de saúde do presidenciável, o deputado disse que viu um Bolsonaro "mais corado", mas não entrou no quarto.

"A cada dia evolui positivamente. Está mais disposto, fez a barba sozinho hoje pela manhã. Ele já começa a recuperar sua condição orgânica. Mas ainda há risco. Continuamos apelando a todos os amigos e correligionários para que não venham [ao hospital], quanto menor a exposição dele melhor para a recuperação", concluiu.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Tiririca é reeleito deputado federal em SP com 445 mil votos
- Padre é agredido pela guarda civil de São Paulo
- Coordenador de Bolsonaro diz que Foro de São Paulo pode estar envolvido em ataque
- Duas pessoas ficam feridas após desabamento em padaria de luxo em SP
- Buscando votos em Barretos, Bolsonaro diz que SP já foi do PSDB
- Aos 5 anos, garotinho faz bilhete em nome da professora para não ir à escola
- Polícia identifica suspeito de matar copeira desaparecida em São Paulo
- Família de cantora gospel morre esmagada por carga de laranjas no interior de SP
- Polícia prende outro suspeito pela morte da policial Juliane
- Polícia de SP acha corpo de PM desaparecida em Paraisópolis
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.