CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
DOMINGO, 27 DE MAIO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Governo fala em locaute e cogita pedir prisão de empresários
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / São Paulo
  São Paulo
 
Após desabamento do prédio no centro de SP, sensibilidade morreu nos escombros
Data Publicação:04/05/2018
Tinha nome o morador do edifício Wilson Paes de Almeida, engolido pelo fogo no largo do Paissandu na madrugada de 1º de Maio, Dia do Trabalhador.

Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro tinha 39 anos e trabalhava descarregando caminhões no centro de São Paulo. Tentava ajudar os vizinhos dos andares mais altos quando o prédio desabou. Entre idas e vindas, chegou a ser visto carregando quatro crianças.

São pessoas como ele que o ex-prefeito João Doria ofende quando trata a ocupação do edifício como resultado da ação de uma “organização criminosa” que transformou o local em ponto de distribuição de drogas – sendo assim, era seu papel como gestor, como gosta de se autodenominar, tomar providências no pouco tempo em que ocupou a prefeitura. A acusação foi refutada pelo atual secretário de Habitação, mas quem se importa?

Na mesma linha, o governador, Márcio França (PSB), declarou que quem procura moradia nos prédios abandonados do centro procura, na verdade, “encrenca”, como se tivesse um cardápio de opções.

E o presidente Michel Temer, orientado pelo gênio do marketing político Elsinho Mouco, decidiu contrariar os críticos e mostrar, conforme relatou a jornalista Andréia Sadi em seu blog, que consegue, sim, sair às ruas e desafiar a impopularidade. Foi hostilizado e precisou voltar para o palácio que ocupa, para muitos também indevidamente, no Planalto.

Tivesse nascido e morrido em outro lugar, Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro talvez fosse reconhecido como herói em um país onde a União gasta em um ano R$ 817 milhões em auxílio-moradia para integrantes dos Três Poderes. Quantos alugueis em prédios do centro dava para pagar?

Alguém, realmente, se importa?

Ao longo do dia, usuários do Facebook que passavam pela região mas jamais pisaram em uma ocupação se marcavam como “seguros”. Seus seguidores podiam seguir o feriado tranquilos.

Outros demonstravam todo o conhecimento em relação à causa da habitação nas grandes cidades, colocando todos os movimentos reivindicatórios no mesmo balaio.

Muitos, numa inversão quase confessional, escreviam que o prédio “sofreu” com a ocupação. Lembravam os dias de glória, o projeto do arquiteto francês Roger Zmekhol e lamentavam o final infeliz da única estrutura que não tinha ossos em toda a tragédia.

Teve até colunista de jornal que se aproveitou da tragédia para denunciar a “máfia” do movimento sem-teto.

Por um momento todos pareciam autorizados a esquecer das máfias com CNPJ e sede própria, como a do ISS, que por anos enriqueceu fiscais, engenheiros e sócios de construtoras de alto padrão – e que aguardam julgamento sem provocar o mesmo incômodo na massa cheirosa.

O desabamento expôs, sim, o descaso e as falhas de segurança das autoridades responsáveis pela fiscalização. Mas mostrou, principalmente, o quanto nos falta em sensibilidade entre os escombros para reconhecer que, neste mesmo país, tanto o direito à moradia como o apelo à compaixão são, na prática, privilégios de quem nasce e morre no lugar “certo”.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Postos de SP preveem seca total até de gasolina aditivada neste sábado
- Prefeitura de São Paulo decreta estado de emergência
- Prefeitura proíbe fogos de artifício com barulho em São Paulo
- Marcelo Freixo lamentou morte de bandido por mãe PM em São Paulo?
- Líder do PCC é preso no Aeroporto de Guarulhos
- Bombeiros acham nova ossada sob escombros de prédio no centro de SP
- Homem ligou para a Polícia Militar pedindo ajuda antes de prédio cair em SP
- Após desabamento do prédio no centro de SP, sensibilidade morreu nos escombros
- Acidente doméstico é principal hipótese de incêndio de prédio em SP
- Separados da família, jovens refugiados sonham com recomeço em São Paulo
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.