CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
DOMINGO, 22 DE ABRIL DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Vacinação contra a gripe começa em todo o país nesta segunda-feira
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Rio de Janeiro
  Rio de Janeiro
 
Tentaram calar a voz dela, diz irmã de Marielle Franco
Data Publicação:15/03/2018
A irmã da vereadora Marielle Franco, assassinada a tiros na noite de quarta-feira, esteve nesta manhã no IML para fazer o reconhecimento do corpo. Anielle Silva disse que a família está muito abalada.

“Tentaram calar a voz dela, um sentimento de dor e de revolta por ela e pelo Anderson. Quero dizer que hoje a Maré com certeza chora, o Rio chora, o Brasil inteiro chora. Que a gente tenha Justiça. Ela só tinha um ano de mandato. Não tinha que ser assim, não era para ser assim. Vou lembrar dela com um sorrisão, uma pessoa muito boa, muito do bem, lutava muito pelas mulheres negras. A família está muito sentida. Ela não tinha sofrido nenhum tipo de ameaça”, afirmou a irmã da vereadora.

O vereador Tarcísio Motta (PSOL), muito próximo de Marielle, também esteve no IML e disse que todos estão muito consternados.

“Foi um atentado à democracia, meu gabinete era lado do dela, éramos amigos, estamos aqui para ajudar e nos despedir da família e cobrar uma investigação da polícia, queremos entender os motivos que levaram à execução dela. Seja qual for, o motivo era inaceitável. Muita brutalidade, parece nos dar um recado, mas não vamos nos calar”, disse.

A vereadora foi morta após deixar um evento chamado “Jovens Negras Movendo as Estruturas”, na Lapa. O crime aconteceu por volta das 21h30m na Rua João Paulo I, no Estácio, próximo à prefeitura do Rio. O motorista que estava com ela, Anderson Pedro Gomes, também foi morto na ação. Eles estavam acompanhados de assessora da vereadora, que foi atingida por estilhaços. A principal linha de investigação é a de execução.



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Coordenador de diversidade sexual do Rio é alvo de ataque a tiros
- Operação na Rocinha tem seis mortos pela polícia e corpos em passarela
- Polícia apura participação de 2º carro no assassinato de Marielle
- Tentaram calar a voz dela, diz irmã de Marielle Franco
- Vereadora Marielle Franco é morta a tiros no Rio
- Morador do Rio passa 36 h detido após falha em operação militar
- Polícia Civil prende ao menos três PMs em operação contra milicianos no Rio
- Rio de Janeiro se organiza para vigiar intervenção de militares
- Mesmo após intervenção, Rio tem novo fim de semana de violência
- Ministério Público pede afastamento do governador Luiz Fernando Pezão
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.