CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 22 DE OUTUBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Bolsonaro consegue apoio robusto nas ruas antes do segundo turno
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Rio de Janeiro
  Rio de Janeiro
 
Novo ministro de Segurança diz que moradores do Rio financiam o crime organizado
Data Publicação:27/02/2018
O novo ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou nesta terça-feira (27) em sua posse no Palácio do Planalto que parte da população do Rio de Janeiro clama pelo fim da violência mas, ao mesmo tempo, financia o crime organizado por meio do consumo de drogas.

"Me impressiona o exemplo do Rio, durante o dia [pessoas] clamarem contra a violência, contra o crime, e à noite financiarem esse mesmo crime através do consumo de drogas", disse Jungmann, que falou sobre "frouxidão de valores" que levaria às drogas pessoas de classe média às quais "nada falta, aqueles que têm recursos".

Foram à posse no Palácio do Planalto, além do presidente Michel Temer, de membros do governo, e do presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), três ministros do STF (Supremo Tribunal Federal): Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Alexandre de Moraes.

Em seu discurso de posse, Jungmann afirmou que o novo ministério deve se comprometer com a coordenação das ações na área de segurança pública em conjunto com Estados e municípios.

"A União precisa ampliar suas responsabilidades e coordenar, enquanto governo, a interação com entes federativos. Cooordenar os entes dentro de uma política cidadã."

Segundo Jungmann, a nova pasta vai "combater duramente o crime organizado, mas sem jamais desconsiderar a lei e os direitos humanos".

Sem citar nomes, Jungmann disse que "existem aqueles que propõem combater o crime através da barbárie". "O Estado e a sociedade não podem se equiparar ao crime organizado, sob pena de a ele se igualar. Temos que combater dentro da lei e dentro do respeito aos direitos humanos, e disso não abramos mão."


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Estudante defende mulher assediada em ônibus no RJ
- Incêndio de grandes proporções atinge o Museu Nacional, no Rio
- Defensoria obtém soltura de dois jovens presos ilegalmente em casa no RJ
- Ex-marido de corretora morta no Rio tem a prisão decretada por suposta participação no crime
- Mulher de 54 anos morre após ter atendimento negado em hospital no Rio
- Ao lançar candidatura no RJ, Paes exagera sobre homicídios e investimentos
- TRE do Rio apreende bandeiras e panfletos em festival de artistas em apoio a Lula
- Estado do Rio vai pagar tratamento psiquiátrico para família de garoto morto na Maré
- Rio de Janeiro confirma seus dois primeiros casos de sarampo em 18 anos
- Motorista do Uber é preso por estuprar adolescente em São Gonçalo
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.