CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEXTA-FEIRA, 14 DE DEZEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Futuro ministro, Heleno isenta Bolsonaro no caso Coaf: Valor irrisório
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Futuro ministro, Heleno isenta Bolsonaro no caso Coaf: Valor irrisório
Data Publicação:13/12/2018
O general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, futuro ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), isentou o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), de responsabilidade no caso das movimentações financeiras atípicas de um ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

“O presidente está isento disso aí porque não teve participação. O que apareceu dele é irrisório, uma quantia pequena, e ele mesmo já explicou. Acredito que não vá atingi-lo”, disse Heleno em entrevista exibida pelo programa Conversa com Bial, da TV Globo.

Na semana passada o jornal “O Estado de S.Paulo” revelou que Fabricio de Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão no período de um ano, enquanto servia como assessor e motorista no gabinete de Flavio, filho do presidente eleito. A movimentação foi considerada “atípica” pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Durante a entrevista, o general da reserva ironizou a participação do órgão no caso. “Fico muito feliz que o Coaf tenha se manifestado, porque ficou em silêncio durante muitos anos, né? Tomara que ele seja mais ativo, que não deixe sair bilhões de dólares do país sem ninguém saber”, disparou.

“Os responsáveis vão ter que assumir a culpa. Se houver alguma penalidade, vão ser submetidos a essa penalidade”, acrescentou Heleno.

Dentre os depósitos realizados por Queiroz está um de R$ 24 mil para a futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro. O presidente eleito afirmou que o repasse se deve ao pagamento de um empréstimo que fez ao ex-assessor, no valor de R$ 40 mil.

Depois de evitar dar entrevistas em Brasília esta semana, Bolsonaro admitiu ter um “problema pela frente” ao citar apuração que envolve o ex-assessor do filho. Em transmissão feita pelas redes sociais na noite desta quarta-feira (12), Bolsonaro nega que ele e o filho sejam investigados.

“Se algo estiver errado, que seja comigo, com meu filho, com o Queiroz, que paguemos aí a conta deste erro que nós não podemos comungar com erro de ninguém. Da minha parte estou aberto a quem quiser fazer pergunta sobre este assunto”, afirmou.

Flávio afirmou nesta quinta-feira (13) que não fez “nada de errado” em relação à movimentação de seu ex-assessor.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Governo endurece punições contra empresas e acusados de fomentar protestos
- Intervenção militar é golpe. Mas o que há por trás deste clamor?
- Não fazemos milagre, fazemos direito , diz Cármen Lúcia
- Privatizem a Petrobras
- Fachin manda prender número 2 do Ministério do Trabalho
- Isenção de eixo suspenso enfrenta resistência na Justiça
- Sete manifestantes infiltrados são presos em bloqueios de rodovias, diz ministro
- Trem carregado com diesel descarrila em Bauru e suspeita é que parafusos foram removidos
- Zero possibilidade de intervenção militar , diz Temer a estrangeiros
- Cármen Lúcia diz ver paralisação dos caminhoneiros com preocupação
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.