CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 20 DE AGOSTO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Bombeiros resgatam ouriço que andava em fios da rede elétrica em Itaberaí
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Dinastias brasileiras lançam mais de 60 candidatos nestas eleições
Data Publicação:20/08/2018
De acordo com balanço do jornal Folha de S. Paulo dos registros da Justiça Eleitoral, as principais dinastias políticas brasileiras lançaram mais de 60 candidatos para outubro. Se levados em conta núcleos menores, o número aumenta expressivamente.

Veja lista:

Família Sarney (Maranhão) – O principal político é o ex-presidente José Sarney, hoje com 88 anos. Desbancou Vitorino Freire, até então principal coronel político do Maranhão. Foi presidente da República de 1985 a 1990. Governou o Maranhão e foi senador pelo Maranhão e por Amapá. Atualmente está sem mandato. Entre os parentes, está a filha, Roseana Sarney, que já governou o stado e foi senadora. É candidata ao governo do estado. Tem mais um filho, chamado Sarney Filho, que é deputado federal com nove mandatos, além de ter sifo ministro dos governos FHC e Temer. Nesta, é candidato ao Senado. E um primo, o Adriano Sarney, que é deputado estadual e tenta reeleição.

Calheiros (Alagoas) – O nome mais relevante da família é Renan Calheiros, ex-presidente do Senado, ex-ministro da Justiça do governo Fernando Henrique Cardoso e é candidato, em 2018, a reeleição no Senado. Ele tem sobrinho, filho, e dois irmãos na política. Nesta ordem, Olavo Neto, prefeito de Murici (AL); Renan Filho, governador de Alagoas e tenta a reeleição; Olavo Calheiros, deputado estadual e também tenta a reeleição; e Renildo Calheiros, filiado ao PC do B, com atuação no estado de Pernambuco. É candidato a deputado federal.

Collor (também de Alagoas) – O mais importante ente é Fernando Collor, ex-presidente da República de 1990 a 1992, quando o Brasil viu o primeiro impeachment; é filho do ex-senador e ex-governador Arnon de Melo; e é candidato ao governo de Alagoas em 2018. O pai, já falecido (1911-1983), durante uma briga com o adversário politico Silvestre Péricles de Góis Monteiro, no Senado, em 1963, sacou um revolver, deu três tiros e matou um outro senador, que não estava envolvido na história. Fernando Collor também tem um filho na política, Fernando James, candidato a deputado federal.

Barbalho (Pará)v – O senador Jader Barbalho é o principal político desta linhagem; já foi governador do Pará, deputado e ministro. E, agora, tenta a reeleição no Senado. Ele tem filho, duas ex-mulheres e um primo envolvidos na democracia brasileiras. Nesta ordem, Helder Barbalho, que é ex-prefeito, ex-ministro, e candidato ao governo do estado; Elcione Barbalho, Simone Morgado e Priante, que são deputadas federais e tentam a reeleição.

Andrada (Minas Gerais)/família com participações mais antigas – Como pessoa mais relevante, tem José Bonifácio de Andrada e Silva (1763-1838), que é conhecido como Patriarca da Independência, foi dos políticos mais importantes da época. Bonifácio de Andrada, que é descendente, está na Câmara desde 1979. Neste ano, não tentará a reeleição, mas seu último grande feito foi relatar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, com voto favorável ao emedebista. Bonifácio tem três filhos na política. Lafayette Andrada, deputado estadual e candidato a federal; Doorgal Andrada, vereador e candidato a deputado estadual; e Toninho Andrada, também candidato a deputado estadual.

Neves/Cunha (também de Minas Gerais) – Tancredo Neves (1910-1985), ex-ministro de Getulio Vargas, primeiro ministro no pré-Ditadura Militar e primeiro civil a ser eleito pelo Congresso Nacional no pós-Ditadura, morto antes da posse, é o principal nome. Tem seus dois netos envolvidos na democracia brasileira. Aécio Neves, que é neto de políticos tanto por parte de mãe quanto por parte de pai, foi presidente da Câmara, governou Minas, tentou se eleger presidente da República e hoje é Senador. Aécio também é um dos pivôs do escândalo da JBS, e vai tentar, agora, se eleger deputado federal; e Andrea Neves, que desde o começo de Aécio, foi sua principal auxiliar.

Arraes (Pernambuco) – Miguel Arraes (1916-2005), governador de Pernambuco, foi preso e deposto pela Ditadura Militar, é o nome mais relevante dos Arraes. Tem filha, netos, bisneto e agregado na política. Um deles, o neto Eduardo Campos (1965-2014), também ficou muito conhecido por ter morrido durante a corrida eleitoral à presidência passada no acidente aéreo de 2014. Eduardo foi governador de Pernambuco. Outro neto é o Antonio Campos, candidato a deputado estadual. E a outra neta é a Marília Arraes, vereadora no Recife, que queria o governo, mas foi barrada pelo PT por causa das alianças no estado. Neste ano, portanto, arrisca a Câmara dos Deputados. O filho mais velho de Eduardo Campos, João Campos, também tenta a Câmara. E Paulo Câmara, que é casado com uma prima de Eduardo Campos, é governador de Pernambuco e tenta a reeleição.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Execuções sumárias da ditadura eram decididas na Presidência
- A cinco meses das eleições, Câmara e Senado trabalham em ritmo lento
- Ocupar é dar função social à propriedade
- Se você defende a ditadura, você oficialmente defende um governo de assassinos
- Vereador acusado de envolvimento na morte de Marielle foi indicado ao Nobel da Paz?
- Fraudes da Dolly acumulam R$ 4 bi e já duram ao menos 20 anos, diz Procuradoria
- Testemunha envolve vereador e miliciano no assassinato de Marielle, diz jornal
- Marun critica Barroso e insinua que imprensa paga por vazamentos
- Juíza autoriza esteira ergométrica e aparelho para ouvir música a Lula, mas nega frigobar
- Prisão de Lula completa um mês nesta segunda-feira; relembre o que aconteceu nesse período
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.