CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEXTA-FEIRA, 25 DE MAIO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Prefeitura de São Paulo decreta estado de emergência
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Produção de carros é paralisada no Brasil por greve de caminhoneiros
Data Publicação:25/05/2018
Todas as linhas de montagem de automóveis do Brasil foram obrigadas a interromper suas atividades em consequência da greve dos caminhoneiros, que bloqueia as estradas de todo o país há cinco dias, informou a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A entidade havia alertado na quinta-feira que a partir de sexta-feira todas as montadoras teriam as linhas de produção paradas, o que foi confirmado durante a manhã, apesar do acordo anunciado na véspera entre o governo e os caminhoneiros, que não foi acatado até o momento de modo visível pelos grevistas.

"A greve dos caminhoneiros afetará significativamente nossos resultados, tanto em vendas, como na fabricação e exportação", advertiu a Anfavea.

A indústria automobilística produz em média 12.600 carros por dia e gera impostos diários de 250 milhões de reais, segundo dados da entidade.

No caso de normalização do transporte rodoviário, o setor tem "uma grande capacidade de recuperação" e, em caso de necessidade, trabalhará no fim de semana, afirmou à AFP uma fonte da Anfavea.

Mas até o momento, os caminhoneiros que protestam contra o aumento do preço do diesel mantêm os bloqueios em pelo menos 24 estados do país.

O governo do presidente Michel Temer e várias associações de transporte chegaram a um acordo para suspender por 15 dias o protesto, com uma série de concessões fiscais em contrapartida.

O movimento provocou escassez e disparada nos preços dos combustíveis e de alimentos.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- IBGE prevê aumento de 3% na safra agrícola deste ano
- CGU lança pesquisa para avaliar Portal da Transparência
- Campanha vai incentivar o gosto pela matemática
- Beber cerveja deixa o homem mais inteligente, aponta estudo
- Pastor e deputado diz que processará a Globo por beijo gay
- Número de acidentes aéreos no Brasil cai 8,5% em 2013
- Anac atendeu mais de 90% dos pedidos de novos voos, dizem aéreas
- Após quatro anos em queda, desmatamento na Amazônia volta a crescer
- Sacolas voltam a ser usadas por garnde parte dos consumidores
- Câmara gastou R$ 1,4 mi com saúde de deputados
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.