CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 17 DE DEZEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Por segurança, sinal de celular na Esplanada será bloqueado na posse de Bolsonaro
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Palocci entrega 19 tipos de provas para atestar delação premiada
Data Publicação:11/10/2018
O ex-ministro Antonio Palocci entregou à Justiça 19 tipos distintos de documentos para comprovar o que foi relatado em sua colaboração premiada. Em petição preparada por sua defesa, ele pede os benefícios concedidos a delatores — que incluem a redução da pena. O documento foi endereçado ao desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, responsável pela segunda instância da Lava Jato.

No processo, que teve o sigilo de alguns anexos derrubado nesta quarta-feira (10), os advogados de Palocci listam 19 provas entregues às autoridades para corroborar tudo o que delatou à Polícia Federal. Entre eles estariam dois contratos fictícios, notas fiscais, emails, extratos bancários, comprovantes de rastreadores veiculares e agenda virtual de sete anos com mais de 7.000 páginas.

A defesa ainda ressalta que o ex-ministro, que já foi um dos homens fortes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, saiu da cela 63 vezes e ficou à disposição da PF por 141 horas durante o período de comprovação das provas.

Preso desde setembro de 2016, o ex-ministro foi inicialmente condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele se encontra detido na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, mesmo prédio onde se encontra Lula. O recurso da condenação será julgado no dia 24 deste mês.

Em 1º de outubro, o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná, quebrou o sigilo de parte do acordo de colaboração de Palocci com a PF. Em um dos anexos, o ex-ministro relata que Lula estava ciente de esquemas de corrupção na Petrobras desde 2007 e que as campanhas que elegeram Dilma Rousseff à Presidência em 2010 e 2014 teriam custado mais que o dobro do valor declarado ao Tribunal Superior Eleitoral. (Com informações da Folhapress)


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Por segurança, sinal de celular na Esplanada será bloqueado na posse de Bolsonaro
- Na mira de Bolsonaro, indulto de natal é ato final de Michel Temer
- Antes de ser eleito, Bolsonaro viveu ano de embates contra a Globo
- Ministério Público afirma que João de Deus já é considerado foragido
- Em Davos, Bolsonaro deve defender reformas e revisão do Mercosul
- Futuro ministro, Heleno isenta Bolsonaro no caso Coaf: Valor irrisório
- Mulher que denunciou abusos de João de Deus cometeu suicídio, diz jornal
- Apalpada no bumbum, sushi na boca: 5 vezes que Gracyanne e Belo se amaram (até demais)
- Bolsonaro quer aposentadoria de servidores públicos só depois dos 65
- Com classe dividida, líderes de caminhoneiros decidem não aderir à paralisação
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.