CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Com árbitro de vídeo omisso, Brasil fica no empate com a Suíça
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Brasil teve mais de meio milhão de assassinatos em 10 anos, diz relatório
Data Publicação:07/06/2018
Mais de meio milhão de assassinatos foram registrados entre 2006 e 2016 no Brasil, que pela primeira vez em sua história ultrapassou a taxa de 30 homicídios por 100.000 habitantes nesse último ano, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira (5).

Em 2016, último ano com estatísticas disponíveis, houve um recorde de 62.517 homicídios, de acordo com um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do prestigioso Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O número é quase 26% maior que dez anos atrás e coloca o Brasil como um dos países mais violentos do planeta, com uma taxa de homicídios de 30,3 por cada 100.000 habitantes, 30 vezes mais que a média europeia, aponta o relatório.

"O Brasil atingiu, pela primeira vez em sua história, os 30 homicídios por cada 100.000 habitantes", destacam os pesquisadores.

"Nos últimos 10 anos, 553.000 pessoas morreram de forma violenta no Brasil", acrescentaram.

Os mais afetados foram os jovens, os negros e os pobres, enquanto os brancos, que representam cerca de metade da população, sofreram 28,5% dos homicídios em 2016.

Para os homens de entre 15 e 29 anos, a taxa de homicídios disparou a quase 281 por cada 100.000 habitantes.

O aumento dos homicídios ocorreu em um período em que o Brasil se transformou em uma potência entre os mercados emergentes, e depois afundou economicamente.

Os estados do norte e nordeste do país lideram a estatística.

Entre os que tiveram uma maior taxa por cada 100.00 habitantes estão Sergipe (64,7), Alagoas (54,2), Rio Grande do Norte (53,4), Pará (50,8), Amapá (48,7), Pernambuco (47,3) e Bahia (46,9).

A taxa do Rio Grande do Norte representa um aumento de 257%, com 1.854 pessoas assassinadas em 2016. Já a taxa da Bahia subiu quase 98% em uma década.

Por outro lado, São Paulo, a maior cidade e motor econômico do país, registrou uma forte queda nas mortes violentas. De 8.377 homicídios em 2006, caiu para 4.870 em 2016, uma redução de quase 47%.

Rio de Janeiro, aonde o governo enviou o Exército para ajudar a polícia em sua luta contra o narcotráfico, registrou uma queda no número de homicídios, passando de 7.389 em 2006 a 6.053, em 2016.

A taxa de homicídios no Rio está acima da média nacional, com 36,4 cada 100.000 habitantes.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- CBF pede a Globo que canarinho deixe de ser chamado de pistola
- Fundo público respondeu por 86,5% do orçamento dos partidos em 2017
- Greve, Copa e incerteza política desaceleram economia brasileira
- Bolsonaro diz que vai partir para o liberalismo e terá base de 300 deputados
- Militarização do governo Temer se consolida com a efetivação de general militar na Defesa
- Deixado de escanteio, Plano Nacional de Educação não tem boas perspectivas para 2019
- Editorial: O Justificando te convida a fazer parte desta história
- Bolívia reforça fronteira com Brasil após roubo de armas
- Saiba como consultar o saldo do PIS, cujo saque foi autorizado
- Maia diz que Ciro não é maior probabilidade de aliança, mas que manterá diálogo
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.