CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUINTA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Paralisação só acaba com fim do PIS/Cofins , diz presidente de associação de caminhoneiros
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Justiça do Paraná fixa multa diária de R$ 500 mil para manifestantes no entorno da PF
Data Publicação:14/04/2018
A Justiça do Paraná fixou nesta sexta-feira (13) multa diária de R$ 500 mil para os manifestantes que ocuparem o entorno da Superintendência da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Na PF, está preso desde sábado (7) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão.

Já no sábado, apoiadores do petista, como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e a CUT (Central Única dos Trabalhadores) começaram a montar um acampamento na região. No mesmo dia, foi expedida uma liminar da Justiça estadual proibindo a ocupação da região, o que, até o momento, não teve efeito prático.

A multa é endereçada a movimentos favoráveis e contrários que realizarem manifestações no local. São réus a CUT, o PT, o Movimento Curitiba Contra Corrupção, o MBL (Movimento Brasil Livre) e o Movimento UFPR Livre.

"Outrossim, diante do elevado número de pessoas existentes na área e com o intuito de dissuadir os réus -evitando, inclusive, a necessidade de medidas mais enérgicas, como, por exemplo, o uso de força policial-, compreende-se que o valor da multa diária deve ser estabelecido em R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) para cada réu que descumprir a ordem judicial, e sem prejuízo de eventuais outras sanções cíveis e criminais aplicáveis", diz o despacho da 3ª Vara da Fazenda Pública.

Também nesta sexta-feira, a Prefeitura de Curitiba pediu à Justiça Federal que o ex-presidente seja transferido de unidade prisional, "para local seguro e adequado às circunstâncias do caso".

"O município de Curitiba já exauriu as providências administrativas e judiciais para o cumprimento da ordem judicial, mas não tem atribuição legal para o seu cumprimento, dependendo da Polícia Militar para tanto", diz o pedido.

A prefeitura afirma que a iluminação pública da região está sendo prejudicada devido à dificuldade de acesso dos veículos que fazem a manutenção. Os caminhões de lixo também não estariam conseguindo passagem.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública do Paraná diz que mantém contato permanente com os manifestantes e que o Departamento de Inteligência do Estado do Paraná monitora as manifestações. A governadora Cida Borghetti (PP) reuniu-se com membros do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) nesta quinta (12).


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Paralisação só acaba com fim do PIS/Cofins , diz presidente de associação de caminhoneiros
- Temer age quando crise está fora do controle, diz Marina em sabatina
- Com greve de caminhoneiros, gasolina chega a quase R$ 10
- Sem acordo, caminhoneiros mantêm bloqueios em rodovias
- Azeredo se entrega e é o primeiro preso do mensalão tucano
- Petrobras reduz diesel na refinaria em 10% em meio a protestos de caminhoneiros
- Fachin autoriza visita de deputados a Lula em Curitiba
- Ex-governador Azeredo é considerado foragido pela Polícia Civil de Minas
- Alckmin sobe tom de críticas a tucanos encrencados com Justiça
- Comitê da ONU rejeita pedido de medidas cautelares de Lula
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.