CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
PF descarta depósitos suspeitos a agressor de Bolsonaro e reforça versão de que atuou sozinho
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Brasil
  Brasil
 
Brasil mergulhado na saga Lula enfrenta um futuro imprevisível
Data Publicação:11/04/2018
A prisão do ex-presidente Lula aprofundou a polarização no Brasil, que em plena crise política, moral e institucional, vislumbra um futuro totalmente imprevisível.

Multidões revoltadas ou exultantes, insultos a juízes, estradas bloqueadas por manifestantes, polícia usando gases lacrimogêneos, os brasileiros acompanharam neste fim de semana uma espécie de telenovela que acabou com Luiz Inácio Lula da Silva atrás das grades.

"O clima de polarização e radicalização preocupa a todos", declarou na semana passada o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

E agora que Lula está preso, o país está ainda mais dividido faltando seis meses para uma eleição na qual ele é favorito.

"O Brasil atravessa uma crise democrática em um sentido amplo, que revela um sistema político e judicial sem alento e submetido a extremas contradições e tensões", explica Christophe Ventura, pesquisador do Instituto de Relações Internacionais e Estratégia (Iris), da França.

Depois do impeachment de Dilma Rousseff em 2016, a prisão do líder da esquerda, de 72 anos, complica uma eleição que é considerada a mais incerta da história do país.

Condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, será que Lula pode ser candidato, mesmo preso? Poderá fazer campanha? Os juristas se perdem em conjecturas.

- "Sequência volátil" -

Mas sua provável inelegibilidade obriga a todos os partidos políticos a revisar sua estratégia.

O PT assegura que não tem um Plano B e confirmou na segunda-feira a candidatura de Lula. No entanto, são muitos os debates e divisões internas.

"Lula preso simboliza o fim de um projeto, de uma era", acredita André Cesar, da consultora Hold.

Mesmo que adulem o "guerreiro do povo" ou repudiem "o maior ladrão da história do Brasil", os brasileiros não sabem dizer se esta eleição é válida se o atual favorito das pesquisas estiver prisão e não poder se eleger.

"O país já passou por outros momentos instáveis e doidos, mas isso é inédito. Nunca no Brasil um ex-presidente foi preso por uma condenação tão controvertida", afirma Ventura.

Entretanto, o Supremo Tribunal Federal - também muito dividido - poderá decidir pela libertação de Lula nesta quarta-feira, em uma nova reviravolta teatral que abrirá "um capítulo totalmente incerto e volátil", acredita.

Três décadas depois do fim do regime militar, o reaparecimento no debate político de chefes do Exército causou polêmica. Em um tuíte recente, o general Eduardo Villas Boas implicitamente apoiou a prisão de Lula.

Os receios em relação às Forças Armadas aumentaram desde que o presidente Michel Temer decretou uma intervenção militar tão controvertida quanto, por enquanto, ineficaz contra a violência que assola o estado do Rio de Janeiro.

Um mês depois, a execução da vereadora e ativista Marielle Franco continua impune, apesar da indignação que seu assassinato causou dentro e fora do Brasil.

Paralelo a isso, a mega-investigação anticorrupção Lava Jato, que levou Lula para a prisão, continua fazendo o país tremer em seu quinto ano de atuação. Mais de 100 políticos de 14 partidos estão sob investigação.

Os procuradores e juízes anticorrupção, começando por Sérgio Moro, foram mais longe que o previsto. Até o presidente Temer foi acusado de corrupção e organização criminosa, apesar de conseguir salvar a pele em 2017 com o apoio do Congresso.

E enquanto 13 milhões de brasileiros ainda estão desempregados, "a combinação de recessão econômica e exposição quase pornográfica da corrupção é explosiva", resume um colunista do jornal A Folha de São Paulo.

- "Tudo pode acontecer" -

Revoltados com a situação, muitos brasileiros parecem dispostos a abraçar o deputado de extrema-direita Jair Bolsonaro, um nostálgico da ditadura e que tem cerca de 18% das intenções de votos, atrás de Lula.

Mas a saga Lula ainda não terminou.

Para seus partidários, ele não passa de um "preso político".

Para seus detratores, é um homem que sabe como manipular seus seguidores e as instituições brasileiras.

Quando Lula ainda estava livre, sua caravana pré-campanha pelo sul do país foi marcada por lançamento de ovos, pedras e até tiros.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- PF descarta depósitos suspeitos a agressor de Bolsonaro e reforça versão de que atuou sozinho
- Sucuri de barriga cheio surpreende pescadores no Mato Grosso do Sul; assista
- Autor de atentado a Bolsonaro agiu sozinho, diz Polícia Federal
- Lula divulga carta aberta respondendo o General Mourão
- Bolsonaro inicia alimentação por via oral
- Irônico, Michel Temer avisa: desacelera, João Doria
- TCU vê indícios de lavagem de dinheiro em financiamento do BB para Val Marchiori
- Luciano Huck passa apuros em aeroporto e ironiza: Vou de táxi
- Em transmissão do hospital, Bolsonaro chora e polariza com PT
- Bob´s troca canudo de plástico por versão comestível
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.