CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
DOMINGO, 22 DE ABRIL DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Vacinação contra a gripe começa em todo o país nesta segunda-feira
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Policia
  Policia
 
PF prende ex-assessor de Dirceu em operação sobre fraudes em fundos de pensão
Data Publicação:12/04/2018
A Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (12) Marcelo Sereno, ex-secretário nacional do PT e ex-assessor do ex-ministro José Dirceu, na Operação Rizoma, que investiga fraudes nos fundos de pensão dos Correios e do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

Também são alvos da operação o lobista Milton Lyra, ligado ao MDB, o sindicalista Carlos Alberto Valadares, e o ex-chefe de gabinete da presidência dos Correios Adeilson Telles. Os demais alvos são operadores financeiros que enviaram recursos para o exterior, bem como beneficiários da propina, em prejuízo do fundos. Não há políticos com mandato entre os alvos.

Os agentes da PF cumprem, no total, dez mandados de prisão preventiva e 21 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em São Paulo e no Distrito Federal. As ordens são do juiz Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato, no Rio.

As investigações apontaram que o investidor Arthur Machado, um dos alvos a operação, como responsável por distribuir propina para pessoas ligadas aos fundos de pensão. Ex-sócio da Ágora, ele é atualmente CEO do ATG Group, empresa que lançou uma nova bolsa de valores para concorrer com a BMF/Bovespa.

A reportagem revelou há dois anos que Milton Lyra e Machado operaram em empresas que captaram ao menos R$ 570 milhões do Postalis (fundo de pensão dos funcionários dos Correios).

As investigações apontaram que Machado utilizou o esquema de geração de dinheiro em espécie dos doleiros Vinicius Claret e Cláudio Barbosa. Ambos são acusados de terem operado também para a Odebrecht e para os irmãos Renato e Marcelo Chebar, doleiros exclusivos do ex-governador Sérgio Cabral (MDB).

Barbosa realizou, segundo o Ministério Público Federal, operações de dólar-cabo no valor total de, ao menos, US$ 1 milhão em favor de Lyra. O lobista já foi apontado como operador do senador Renan Calheiros (MDB-AL), e seu nome apareceu em uma anotação apreendida no gabinete do ex-senador Delcídio do Amaral sobre suposta propina de R$ 45 milhões para o MDB.

A propina distribuída por Machado também teve como destinatário Adeilson Telles, chefe de gabinete do ex-presidente dos Correios Wagner Ribeiro. Ele recebeu cerca de R$ 1 milhão, segundo as investigações.

Alvo da operação, Sereno recebeu R$ 900 mil por ordem de Machado em 2013, quando era secretário municipal de Maricá (RJ), apontaram os investigadores.

Já Carlos Alberto Valadares teria recebido R$ 1,2 milhões. Conhecido como Gandola, ele é presidente da Fenadados (Federação. Nacional dos Empregados em Empresas e Órgãos Públicos e Privados de. Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares).

“As investigações apontam que valores oriundos dos fundos de pensão eram enviados para empresas no exterior gerenciadas por um operador financeiro brasileiro. As remessas, apesar de aparentemente regulares, referiam-se a operações comerciais e de prestação de serviços inexistentes. Em seguida, os recursos eram pulverizados em contas de doleiros também no exterior, que disponibilizavam os valores em espécie no Brasil para suposto pagamento de propina”, diz a polícia.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Morre menina baleada ao defender o pai após briga por pizza
- Mulher é estuprada dentro de ônibus em assalto no Rio
- Adolescente assume culpa por atear fogo em dentista que morreu
- Preso no Rio suspeito de sequestrar irmã de Vitor Belfort
- Bruno admite que sabia da morte de Eliza Samudio e acusa Macarrão
- Polícia ocupa conjunto de favelas no Rio de Janeiro sem tiros
- Dono da boate Kiss confirma a superlotação em festas ao depor
- Tragedia em Santa Maria: Sobreviventes de tragédia terão assistência por 2 anos
- Dono da Kiss passa em avaliação médica e deve ser preso amanhã
- Se boate estivesse regular, não haveria mortos, afirma polícia
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.