CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
TERÇA-FEIRA, 25 DE SETEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Mulher é presa por agredir namorado e policial dentro de delegacia, em Jaraguá
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Policia
  Policia
 
Lava Jato da Argentina: entenda escândalo que prendeu kirchneristas
Data Publicação:02/08/2018
A Argentina tornou-se palco de um escândalo de corrupção, apelidado de “Lava Jato argentino”, que culminou na prisão de treze ex-funcionários do governo da ex-presidente Cristina Kirchner ao longo desta semana.

As investigações se assemelham às que ocorrem no Brasil, pois expuseram o desvio de verbas destinadas a obras públicas por parte de empresários e acordos ilícitos envolvendo construtoras. O esquema movimentou cerca de U$ 160 milhões.

Todo o caso foi desencadeado com a descoberta de anotações feitas em oito cadernos pertencentes a Oscar Centeno, ex-funcionário ligado ao Ministério do Planejamento. Os manuscritos detalham as transações realizadas entre pessoas do governo e empresários e foram publicados pelo jornal La Nación.

Os investigadores chegaram a Centeno após a prisão de Julio De Vido, ex-ministro do Planejamento (2003-2015) e nome forte ligado aos governos kirchneristas, em outubro passado.

As demais prisões foram decretadas nesta quarta-feira (1) pelo juiz Claudio Bonadío, que também autorizou 51 operações de busca e apreensão, sendo 34 em imóveis pertencentes a empresas.

Entre os detidos estão Roberto Baratta, ex-secretário de coordenação de De Vido, os empresários Gerardo Ferreyra, da Electroingeniería, Javier Sánchez Caballero, da construtora Iecsa (pertence a Ángelo Calcaterra, primo do presidente Mauricio Macri), e Rafael Llorens, ex-secretário legal do Planejamento Federal.

As prisões ocorreram após depoimento da ex-esposa do motorista de Baratta, relatando supostas transferências de sacolas com dinheiro para o ministério entre 2005 e 2015. As transações teriam sido descritas nos cadernos de Ceteno.

Os relatos também mencionam entregas feitas na Quinta de Olivos quando Néstor Kirchner foi presidente (2003-2007) e na residência dos Kirchner em Buenos Aires. O que não podia ser entregue diretamente, era levado ao secretário particular dos ex-presidentes, Daniel Muñoz.

Quatro empreiteiros estão sendo buscados pela polícia: Francisco Valenti, Oscar Thomas, Carlos Wagner e Juan Carlos de Goicochea.

A ex-presidente Cristina Kirchner foi intimada a depor no processo e sua audiência foi marcada para o dia 13 de agosto.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Músico e mais dois são presos por incêndio em Santa Maria
- Presa quadrilha que roubava contas bancárias na internet
- Três homens são mortos na segunda chacina do ano em SP
- Grávida de 9 meses é baleada em Campo Limpo, SP
- Mulher é morta durante culto da Igreja Universal
- Primeira chacina de São Paulo deixa seis mortos e três feridos
- Casal espanca menina de 8 anos até a morte no Rio de Janeiro
- PF prende no Rio homem procurado há mais de um ano pela Interpol
- Mesmo se confessar, Bruno deverá ter pena de pelo menos 30 anos
- Bruno já está condenado, diz promotor
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.