CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUARTA-FEIRA, 15 DE AGOSTO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Agricultor escreve nome de Bolsonaro em plantações no MS
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Policia
  Policia
 
Interpol resgata 350 vítimas do tráfico em Brasil, Venezuela e Caribe
Data Publicação:01/05/2018
Quase 350 vítimas de tráfico de seres humanos foram resgatadas e 22 pessoas presas em uma operação coordenada no começo do mês no Brasil, no Caribe e na Venezuela, informou a Interpol nesta segunda-feira (30).

A organização policial internacional indicou que mais de 500 policais em 13 países participaram na "Operação Liberdade", realizada em 9 de abril de 2018.

Homens e mulheres, e inclusive crianças, foram encontrados trabalhando em "casas noturnas, fazendas, minas e em mercados a céu aberto", disse a Interpol.

"Na Guiana, jovens mulheres foram encontradas trabalhando como prostitutas ao lado de minas de ouro extremamente remotas, de onde não podiam escapar", segundo a organização.

Em outro caso, funcionários "asiáticos" de uma fábrica em São Vicente e Granadinas haviam sido desprovidos de seus passaportes", tornando-os "completamente dependentes".

"Sem nunca ter recebido salários, dependiam de seus supervisores para moradia, transporte, comida e as necessidades mais básicas", disse a Interpol em comunicado.

Em alguns lugares, mulheres trabalham em "espaços não muito maiores do que túmulos", disse Cem Kolcu, coordenador da Interpol para tráfico de pessoas.

"Com milhares de pessoas tentando cruzar as fronteiras em busca de trabalho, os traficantes atuam sobre os membros da sociedade mais desesperados e vulneráveis, com promessas de uma vida melhor", disse a Interpol.

As autoridades apontaram dificuldades para reunir provas e levar os supostos traficantes à justiça, porque algumas vítimas - por ganharem mais dinheiro do que em seus países de origem - não se identificam como vítimas. Outras delas são manipuladas e intimidadas a dar informação falsa.

A operação foi coordenada do centro regional de Comunicações em Barbados, com o apoio do escritório regional da Interpol em Buenos Aires.

A organização com sede em Lyon, na França, afirmou que os países participantes na operação foram Antígua e Barbuda, Aruba, Barbados, Belize, Brasil, Curaçau, Guiana, Jamaica, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Trinidade e Tobago, as ilhas Turcas e Caicos (um território britânico de ultramar) e Venezuela.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Lava Jato da Argentina: entenda escândalo que prendeu kirchneristas
- PF apreende R$ 373 mil na casa de auditora da Receita e ex-conselheira do Carf
- PF cumpre mandados contra deputada Cristiane Brasil em 2ª fase de operação contra fraudes no Ministério do Trabalho
- Operação da PF mira desvio de recursos federais para educação em quatro estados
- Interpol resgata 350 vítimas do tráfico em Brasil, Venezuela e Caribe
- PF prende ex-assessor de Dirceu em operação sobre fraudes em fundos de pensão
- Entenda o que a prisão de José Yunes significa para o governo Temer
- Petistas pedem federalização de investigação sobre ataque a caravana de Lula
- PF prende em aeroporto no Rio investigado em operação derivada da Lava Jato
- 2 - Ações de frigoríficos caem com nova fase da Operação Carne Fraca
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.