CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 20 DE AGOSTO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Bombeiros resgatam ouriço que andava em fios da rede elétrica em Itaberaí
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Pesquisa CNT/MDA aponta Lula com liderança folgada na disputa presidencial
Data Publicação:20/08/2018
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue à frente na disputa presidencial, mesmo preso em Curitiba desde abril deste ano, apontou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira.

Em cenário de pergunta estimulada, o ex-presidente figura como o favorito de 37,3 por cento dos entrevistados, seguido do deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 18,8 por cento, de Marina Silva (Rede), com 5,6 por cento, de Geraldo Alckmin (PSDB), com 4,9 por cento, Ciro Gomes (PDT), com 4,1 por cento, e Alvaro Dias (Podemos), com 2,7 por cento.

A sondagem aponta 14,3 por cento de votos nulos e brancos, enquanto 8,8 por cento dos entrevistados se mostraram indecisos.

No levantamento divulgado em maio, Lula registrava 32,4 por cento das intenções de voto, à frente de Bolsonaro, com 16,7 por cento, Marina, com 7,6 por cento, Ciro com 5,4 por cento, Alckmin, com 4,0 por cento, e Dias, com 2,5 por cento.

Lula também lidera os cenários de segundo turno. O petista vence Ciro, Alckmin, Bolsonaro e Marina com larga margem. Nos cenários da segunda rodada em que Lula não figura como candidato, Bolsonaro aparece numericamente à frente, mas com uma vantagem que configura empate técnico, por estar dentro da margem de erro.

TRANSFERÊNCIA DE VOTO

Ainda que tenha levado em conta aqueles que oficialmente pediram registro de candidatura junto à Justiça Eleitoral, o instituto tentou estimar a capacidade de transferência de voto de Lula.

Dentre os que declaram voto no petista, o vice na chapa do ex-presidente, Fernando Haddad (PT), é o que mais se beneficia, com a migração de 17,3 por cento dos eleitores de Lula.

Em seguida vem Marina, com 11,9 por cento, Ciro com 9,6 por cento, Bolsonaro, com 6,2 por cento e Alckmin, com 3,7 por cento.

A pesquisa também mediu a popularidade do presidente Michel Temer. Para 78,3 por cento, a avaliação foi negativa, em comparação aos 71,2 por cento registrados em maio.

A avaliação positiva ficou em 2,7 por cento, ante 4,3 por cento.

Encomendada pela Confederação Nacional do Transporte, a pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais. Foram ouvidas 2002 pessoas, entre os dias 15 e 18 de agosto. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob o número BR-09086/2018.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Ataque contra UNE e ação da PM em ato pró-Lula em SP recebe critica da Presidente
- Bolsonaro é cercado aos gritos de
- Lula teria rejeitado convite de Dilma para assumir Casa Civil, diz jornalista
- Ministra do STF nega pedido de Lula para suspender operação Aletheia da Lava Jato
- Janot é contra recurso da Câmara que questionou decisão sobre impeachment
- Ministro Marco Mello demonstra preocupação com condução coercitiva de Lula
- Geraldo Alckmin quer prévias no PSDB para disputa presidencial de 2018
- Cunha é notificado sobre pedido de afastamento e tem 10 dias para se manifestar
- Carnaval no Congresso dura 12 dias e só acaba na próxima terça (16)
- ’Lula é o plano A do PT para 2018, não há plano B’, diz Rui Falcão
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.