CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUARTA-FEIRA, 23 DE AGOSTO DE 2017
ULTIMA NOTÍCIA:
Grande Sucuri aparece no balneário de Bonito
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Númeo de ausentes garantem que denúncia seja arquivada contra o Presidente Michel Temer
Data Publicação:03/08/2017
Registraram presença na Casa 404 parlamentares, mas ausentes permitiram vitória do governo antes mesmo que votação fosse encerrada. O número mínimo (2/3 dos deputados) necessário para que a Câmara autorizasse a abertura de processo contra o presidente Michel Temer não foi atingido por conta das ausências de deputados. Por isso, a denúncia foi arquivada. Era necessário que 342 parlamentares votassem. O resultado final foi 263 pelo arquivamento da denúncia e 227 para que ela prosseguisse. O número de ausentes chegou a 19, ainda foram duas abstenções. No total, 15 partidos (PMDB, PP, PR, PSD, DEM, PTB, PRB, PSC, Pros, SD, PEN, Pode, PTdoB, PSL e PRP) orientaram o voto "sim", enquanto dez partidos (PT, PSDB, PSB, PDT, PCdoB, PPS, PHS, Rede, Psol e PMB) orientaram o "não". Apenas o PV liberou a bancada para que cada deputado decida individualmente. Cada deputado teve 15 segundos para falar no microfone e dar o voto. Diferentemente da sessão que estava em apreciação a abertura de procedimento para investigar a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), desta vez os parlamentares foram menos enfáticos nos discursos.


Fonte:Ag Camara, foto: Gilmar Felix/ Câmara dos Deputados



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Brasil indica economista Ivan Ramalho para alto representante do Mercosul
- Justiça Eleitoral multa José Serra por propaganda eleitoral antecipada na web
- Dívidas dos Estados em discussão pelo Governo
- Para deputados, PT tenta abafar o mensalão quitando dívida com bancos
- Câmara aprova projeto que anistia candidatos com contas rejeitadas
- Câmara aprova PEC do Trabalho Escravo e matéria volta ao Senado Federal
- Decisão sobre depoimento de Cachoeira fica para a semana que vem
- Abolido o 14º e o 15º salários, pagos há 66 anos aos parlamentares pelo Senado
- Em discurso do Dia do Trabalho, Dilma cobra dos bancos juros mais baixos
- Maria do Rosário pede ao TSE mais acessibilidade ao eleitor com deficiência
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.