CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
TERÇA-FEIRA, 17 DE JULHO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Campeão dentro e fora de campo! Mbappé doa prêmios para caridade
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Ministro do STF autoriza prisão domiciliar a Maluf
Data Publicação:28/03/2018
O ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizou nesta quarta-feira (28) que o deputado Paulo Maluf (PP-SP) cumpra prisão domiciliar.

Ele está preso na Papuda, em Brasília, desde dezembro.

Na decisão, Toffoli afirma que a defesa de Maluf apresentou documentos que comprovam que o deputado "passa por graves problemas relacionados à sua saúde no cárcere".

O ministro destaca que a imprensa noticiou nesta manhã que Maluf foi internado às pressas na noite de terça.

Toffoli determina que a defesa de Maluf junte aos autos o laudo médico do hospital em que o político está internado.

O magistrado remeteu o caso para ser analisado pelo plenário do STF.

REGIME FECHADO

Em maio de 2017, Maluf foi condenado pela primeira turma do STF a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro. Ele também foi condenado à perda do mandato.

De acordo com a denúncia, enquanto era prefeito de São Paulo (1993 a 1996), Maluf ocultou e dissimulou dinheiro desviado da construção da avenida Água Espraiada (atualmente chamada de avenida Roberto Marinho).

Em dezembro, o ministro Edson Fachin, do STF, determinou que Paulo Maluf comece a cumprir pena em regime fechado e perca o mandato de deputado federal.

O ministro já havia sido sorteado relator do caso enquanto estava na primeira turma, antes de mudar de colegiado por causa da Lava Jato.

O deputado recorreu, mas perdeu.

Depois que o deputado começou a cumprir a pena, no presídio da Papuda, em Brasília, Fachin negou pedido da defesa para que ele cumprisse prisão domiciliar.



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Bolsonaro lidera disputa presidencial mesmo em cenário com Lula, mostra pesquisa
- Bancada Bolsonaro na Câmara já é maior que a de qualquer partido, diz site
- Medo da violência não pode definir voto em outubro, diz diretora de centro de estudos
- Siri interrompe discurso de ministro em parlamento britânico
- Agora candidato, Datena diz que faltam homens de bem na política
- Não farei acordo com o diabo para ter tempo na TV, diz Bolsonaro no Maranhão
- PT lança plataforma de doações da pré-candidatura de Lula
- Bolsonaro lidera corrida presidencial; Ciro é o segundo colocado
- Bolsonaro não descarta Janaina Paschoal como vice em sua chapa
- TSE não pode tomar iniciativa de impedir Lula candidato
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.