CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 17 DE DEZEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Na praia ou na piscina: Carla Perez ensina poses para fotos de verão
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Lula diz que não respeita decisão do TRF-4 e que quer ser candidato mais do que nunca
Data Publicação:28/03/2018
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, horas depois de ter os recursos contra a condenação no caso do tríplex negados pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que não respeita a decisão da corte e que agora, mais do que nunca, quer ser candidato à Presidência da República.

Em seminário sobre a integração latino-americana em Foz do Iguaçu, no Paraná, uma etapa de sua caravana pela Região Sul, Lula também afirmou que quer ver julgado o mérito de seu processo.

"Eu não respeito a decisão, porque se eu respeitar a decisão de uma mentira, a minha netinha, quando ela crescer, ela vai sentir vergonha do avô dela que foi covarde", disse Lula.

"Eu quero agora, mais do que nunca, ser candidato a presidente", acrescentou o petista, provocando aplausos na plateia que acompanhava o evento na cidade que faz fronteira com o Paraguai e a Argentina.

Lula lidera as pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República na eleição de outubro, mas, com a confirmação da condenação em segunda instância, deve ficar impedido de entrar na corrida eleitoral por conta da Lei da Ficha Limpa, que torna inelegível condenado por órgãos colegiados da Justiça.

O ex-presidente poderia ter a prisão decretada com o encerramento dos recursos em segunda instância no caso do tríplex, mas obteve na semana passada uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) que impede que ele seja preso até a corte analisar um pedido de habeas corpus em 4 de abril.

"Eu não estou acima da lei. A única coisa que eu quero é que julguem o mérito do meu processo... Querem me prender para quê? Para me tirar da rua? Eu estarei na rua pela vontade de vocês, pelas pernas de vocês", discursou Lula.

O ex-presidente foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso em que é acusado de ter recebido o tríplex como propina paga pela empreiteira OAS em troca de contrato na Petrobras.

Lula nega ser dono do imóvel, assim como quaisquer irregularidades. Ele afirma ser alvo de uma perseguição política promovida por setores do Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal que visa impedí-lo de ser novamente candidato ao Palácio do Planalto.



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Escolhida por Bolsonaro, nova ministra disse que " é o momento de a igreja governar"
- Bolsonaro diz que pode usar caneta Bic se houver denúncia robusta contra Onyx
- Trabalho no governo Bolsonaro terá funções divididas entre outros 3 ministérios, diz Onyx
- Bolsonaro diz que tem acordo com Moro para afastar ministro após denúncia robusta
- Não fiz campanha prometendo nada pra ninguém, diz Bolsonaro sobre Malta
- Delator da JBS diz que caixa dois para Onyx era para ‘manter bom relacionamento´
- Justiça Eleitoral recomenda reprovação de contas da campanha de Janaina Paschoal
- Bolsonaro anuncia filósofo colombiano como ministro da Educação
- Segunda Turma do STF desarquiva inquérito sobre Aécio Neves
- Ortopedista, deputado do DEM será ministro da Saúde de Bolsonaro
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.