CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUINTA-FEIRA, 23 DE NOVEMBRO DE 2017
ULTIMA NOTÍCIA:
China pede diálogo depois que EUA designaram Coreia do Norte como patrocinador do terrorismo
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Dilma diz que fará oposição
Data Publicação:31/08/2016
Pouco depois de o Senado confirmar seu impeachment, Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (31) que estava sofrendo o "segundo golpe" de sua vida e que o governo do agora presidente Michel Temer vai enfrentar uma oposição "firme, incansável e enérgica". "Apropriam-se do poder por meio de um golpe de Estado. Esse é segundo golpe que enfrento na vida. O primeiro, um golpe militar apoiado na truculência das armas da repressão e da tortura, que me atingiu quando eu era uma jovem militante. O segundo, parlamentar, desfechado hoje por meio de uma farsa jurídica que me derruba do cargo para o qual fui eleita pelo povo. É uma inequívoca eleição indireta", disse Dilma em rápido pronunciamento no saguão de entrada do Palácio da Alvorada. "Não desistam da luta, ouçam bem. Eles pensam que nos venceram. Mas estão enganados. Sei que todos nós vamos lutar. Haverá contra eles a mais firme, incansável e enérgica oposição que um governo golpista pode sofrer", completou a petista. Segundo a presidente cassada, os senadores que votaram pelo impeachment cometeram uma "injustiça", "rasgando a Constituição" e os políticos que "buscam escapar do braço da Justiça" vão tomar o poder. "Causa espanto que a maior ação contra a corrupção da nossa história, propiciada por ações desenvolvidas e leis aprovadas e sancionadas a partir de 2003, e aprofundadas em meu governo, levem justamente ao poder um grupo de corruptos investigados", afirmou Dilma em referência indireta à Operação Lava Jato. Cercada por ex-ministros e parlamentares e observada de longe pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que preferiu assistir à fala da sucessora do alto da rampa do Alvorada, Dilma pediu que seus apoiadores "não desistam da luta" e disse que seu grupo voltará ao poder. "Nós voltaremos para continuar nossa jornada rumo a um Brasil em que o povo é soberano", afirmou. "O golpe não foi apenas contra mim e contra o meu partido. Isso foi apenas o começo. Vai atingir indistintamente qualquer organização progressista e democrática. O golpe é contra o povo, é contra a nação, é misógino, é homofóbico, é racista", completou. Vestindo um casaqueto vermelho e um calça preta, Dilma disse mais uma vez que falava aos 110 milhões de eleitores que participaram das eleições de 2014 e aos 54,5 milhões que votaram nela. "Saio da Presidência como entrei, sem ter cometido qualquer ato ilícito." Dilma encerrou citando Darcy Ribeiro e o poeta russo Vladimir Maiakovski. "Não gostaria de estar no lugar do que se julgam vencedores. A história será implacável com eles como já o foi em décadas passadas. Não direi adeus a vocês, direi até daqui a pouco", declarou. "Não estamos alegres, é certo, mas também por que razão haveria ficar triste?"



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Ministro pode ter falado verdade sobre RJ de forma errada, diz Rodrigo Maia
- AGU pede que plenário do STF julgue extradição de Battisti
- Dilma Rousseff foi afastada do cargo sem ter cometido crime de responsabilidade
- Númeo de ausentes garantem que denúncia seja arquivada contra o Presidente Michel Temer
- Planalto manobra e derrota parecer contrário a Temer
- Lula é condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro
- Fachin decide enviar denúncia contra Temer direto para Câmara
- Justiça rejeita queixa-crime de Temer contra Joesley Batista por calúnia
- Da prisão, Cunha diz que discutiu com Joesley e Lula sobre impeachment de Dilma
- Defesa de Palocci relaciona Mantega a pagamento a marqueteiros
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.