CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUARTA-FEIRA, 18 DE JULHO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Tribunal revê decisão de Moro e condena mulher de Cunha por evasão de divisas
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Ministro pede desculpas por ter dito que mulher trabalha menos que homem
Data Publicação:12/08/2016
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, divulgou nota nesta sexta-feira (12) para esclarecer a declaração dada por ele nesta quinta de que que os homens vão menos aos serviços de saúde porque trabalham mais que as mulheres. Segundo a nota (leia a íntegra ao final desta reportagem), divulgada pela assessoria do ministério, ele pede desculpas caso tenha sido mal interpretado. Nesta quinta, durante anúncio da criação de um plano para aumentar as estatísticas de atendimento a homens na rede pública de saúde do Brasil, Barros afirmou que os homens "trabalham mais", são os "provedores da maioria das famílias", e, por isso, cuidam menos da saúde porque "estão fora trabalhando". A declaração repercutiu negativamente nas redes sociais e foi contestada, inclusive, pela própria filha do ministro, a deputada estadual Maria Victoria Borghetti Barros (PP-PR). Na nota, o ministro afirma que se referiu não à jornada de trabalho, mas sim ao número de homens no mercado de trabalho. "Segundo pesquisa Síntese de Indicadores Sociais, o IBGE aponta que pessoas de 16 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por sexo, 53,7 milhões são homens e 39,7 milhões são mulheres", diz a nota. "Conhecendo o quanto as mulheres trabalham, eu jamais diria que os homens trabalham mais que as mulheres. Quero deixar claro que eu me referia ao número de homens no mercado de trabalho, que ainda é maior", afirmou o ministro na nota. Durante o texto, o ministro ressalta ainda que as mulheres, além de trabalhar fora, "têm as tarefas de casa, cuidam da família e ainda arrumam tempo para cuidar da saúde". Nota Leia abaixo a íntegra da nota divulgada nesta sexta pela assessoria do Ministério da Saúde. NOTA À IMPRENSA Ministro esclarece informação sobre cuidado de saúde dos homens O ministro da Saúde, Ricardo Barros, esclarece sua fala durante o lançamento da campanha para sensibilizar os homens no cuidado de sua saúde. Pede desculpas se foi mal interpretado na frase ao informar que homens trabalham mais. Ele se referia ao número de homens no mercado de trabalho. Segundo pesquisa Síntese de Indicadores Sociais, o IBGE aponta que pessoas de 16 anos ou mais de idade, ocupadas na semana de referência, por sexo, 53,7 milhões são homens e 39,7 milhões são mulheres. Deixa claro, não fez referência à jornada de trabalho, quando, de fato, as mulheres exercem uma segunda ou terceira etapa do dia. “Conhecendo o quanto as mulheres trabalham, eu jamais diria que os homens trabalham mais que as mulheres. Quero deixar claro que eu me referia ao número de homens no mercado de trabalho, que ainda é maior”, explica. “As mulheres, além de trabalhar fora, tem as tarefas de casa, cuidam da família e ainda arrumam tempo para cuidar da saúde. A campanha que lançamos quer espelhar esse exemplo das mulheres”, afirma. Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde apresentou uma pesquisa na qual mostra que quase um terço (31%) dos homens brasileiros não têm o hábito de ir aos serviços de saúde para acompanhar seu estado de saúde e buscar auxílio na prevenção de doenças e na qualidade de vida. O ministro ainda reforçou que o mote da campanha é mudar a cultura masculina. “Dentro de todas as tarefas diárias, ainda deve ser reservado um tempo para pensar na prevenção de doenças e na melhoria da qualidade de vida. Queremos que os homens aprendam a cuidar da saúde, como as mulheres fazem tão bem”, conclui.


Fonte:G1



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Ciro Gomes diz que sugestões do centrão são bem-vindas e que não ferem princípios
- PTB anuncia formalmente apoio à candidatura de Alckmin
- Bolsonaro lidera disputa presidencial mesmo em cenário com Lula, mostra pesquisa
- Bancada Bolsonaro na Câmara já é maior que a de qualquer partido, diz site
- Medo da violência não pode definir voto em outubro, diz diretora de centro de estudos
- Siri interrompe discurso de ministro em parlamento britânico
- Agora candidato, Datena diz que faltam homens de bem na política
- Não farei acordo com o diabo para ter tempo na TV, diz Bolsonaro no Maranhão
- PT lança plataforma de doações da pré-candidatura de Lula
- Bolsonaro lidera corrida presidencial; Ciro é o segundo colocado
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.