CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
TERÇA-FEIRA, 25 DE JUNHO DE 2019
ULTIMA NOTÍCIA:
Espetáculo Querubim fica em cartaz até 07/07 no RJ
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
Projeto prevê recursos de loterias para defesa civil
Data Publicação:17/01/2012
Um projeto de lei aprovado no fim do ano passado, no Senado, pretende dar uma solução à falta de recursos para aos órgãos de defesa civil no Brasil. Ele quer que parte do dinheiro arrecadado pelas loterias seja usada no socorro às vítimas de desastres naturais.

O substitutivo a projetos do Senado que tratam de casos específicos de liberação de recursos para desastres, aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos, prevê a criação do Fundo Nacional Especial para Calamidades Públicas (Funcap). O fundo terá a finalidade de socorrer os estados e municípios, além do Distrito Federal, atingidos por desastres de maneira, garantindo agilidade na liberação de recursos. Para o relator, senador Benedito de Lyra (PP-AL), o fundo servirá para diminuir a burocracia enfrentada pelas unidades da Federação na liberação de recursos para a defesa civil.

Pelo texto, o Funcap será mantido com 2,5% da arrecadação da Caixa Econômica Federal com todas as loterias que administra. Os estados, municípios e o Distrito Federal também ajudarão a financiar o fundo, integralizando cotas a serem definidas individualmente. A União também participará do fundo investindo cinco vezes o que for destinado pela Caixa e três vezes o que for integralizado pelos entes federados.

Se o projeto for aprovado, os municípios e estados atingidos pelos desastres poderão sacar a parte que depositaram no fundo e mais a parte proporcional depositada pela União e pela Caixa Econômica. Como não há obrigatoriedade de participação nem limite mínimo de valor de depósito pelas unidades da federação, o conselho diretor do Funcap poderá autorizar os estados e municípios que não tiverem cotas a receber o dinheiro integralizado pela Caixa e pela União no caso de calamidades públicas.

Para o relator, esta é a forma de garantir que municípios pequenos e mais pobres possam ser socorridos pelo fundo mesmo não tendo condições de participarem com cotas. %u201CEssa regra tem a vantagem adicional de não alterar os percentuais de rateio dos atuais beneficiários legais e de não excluir nenhum município como beneficiário do fundo pelo fato de não ter integralizado cotas%u201D, disse Lyra em seu voto.

Para garantir que não haja problemas orçamentários para a União depositar a sua parte, os municípios e estados ou o Distrito Federal, que decidirem investir no Funcap, deverão comunicar à Secretaria Nacional de Defesa Civil os valores que depositarão até o dia 30 de junho de cada ano. Com isso, o governo federal poderá fazer a previsão orçamentária das cotas que terá que integralizar ao fundo.

O projeto foi aprovado em caráter terminativo na Comissão de Assuntos Econômicos, do Senado, e seguiu para a Câmara dos Deputados, onde também deverá tramitar em caráter terminativo nas comissões. Se sofrer alguma alteração, a matéria retornará ao Senado.



Fonte:Ag Brasil



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Escolhida por Bolsonaro, nova ministra disse que " é o momento de a igreja governar"
- Bolsonaro diz que pode usar caneta Bic se houver denúncia robusta contra Onyx
- Trabalho no governo Bolsonaro terá funções divididas entre outros 3 ministérios, diz Onyx
- Bolsonaro diz que tem acordo com Moro para afastar ministro após denúncia robusta
- Não fiz campanha prometendo nada pra ninguém, diz Bolsonaro sobre Malta
- Delator da JBS diz que caixa dois para Onyx era para ‘manter bom relacionamento´
- Justiça Eleitoral recomenda reprovação de contas da campanha de Janaina Paschoal
- Bolsonaro anuncia filósofo colombiano como ministro da Educação
- Segunda Turma do STF desarquiva inquérito sobre Aécio Neves
- Ortopedista, deputado do DEM será ministro da Saúde de Bolsonaro
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.