CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUARTA-FEIRA, 17 DE OUTUBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Parte do PT está "se lixando" para Haddad, diz Cid Gomes
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Politica
  Politica
 
PSDB já negocia apoio de Marina no segundo turno
Data Publicação:05/10/2014

Depois da arrancada do senador Aécio Neves na reta final das eleições, o PSDB já começou a negociar com interlocutores da candidata do PSB Marina Silva o apoio da pessebista caso o tucano chegue ao segundo turno. A aliança foi defendida publicamente pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e, nos últimos dias, o tom das críticas de Aécio a Marina começou a ser amenizado em uma sinalização, segundo interlocutores tucanos, de que a tentativa de apoio seria negociada. Em 2010, após conseguir quase 20 milhões de votos, Marina Silva, então no Partido Verde, optou pela neutralidade e não apoiou nem Dilma Rousseff (PT) nem o então candidato José Serra (PSDB).

Uma reunião entre caciques do PSDB já foi pré-agendada para esta segunda-feira em São Paulo e os diretórios estaduais da sigla foram mobilizados para que procurem interlocutores de Marina Silva para negociar apoio no segundo turno. Os tucanos apostam no nome do deputado federal Walter Feldman, egresso do PSDB, como um dos mais fortes canais de interlocução para discutir uma aliança no turno suplementar.

“Aécio e Marina, PSDB e PSB, estarão juntos no segundo turno a favor da mudança necessária. O processo tem que ser respeitoso, consistente e programático para gerar confiança e credibilidade”, disse neste domingo o presidente do PSDB-MG, deputado Marcus Pestana. “A convergência [entre Aécio e Marina] terá que ser institucional e programática”, afirmou.

Após ter votado em Belo Horizonte, o candidato Aécio Neves disse que só falaria de possíveis alianças no segundo turno depois da conclusão da apuração de votos pela Justiça Eleitoral. Ele lembrou as manifestações de junho de 2013, que pediam mudança na política brasileira, e disse que a reeleição da presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) não atenderia aos anseios das ruas.

“Não posso acreditar que esse sentimento de mudança amplo hoje na sociedade possa ser expresso pela reeleição da presidente da República e do grupo político que há 12 anos não fez essas mudanças que a sociedade aguarda”, declarou.

O candidato tucano acompanhará a apuração dos votos em seu apartamento no bairro Anchieta, na capital mineira.




Fonte:band



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Parte do PT está "se lixando" para Haddad, diz Cid Gomes
- Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%, aponta Ibope
- Qual o limite da loucura do meu adversário?, diz Haddad
- Paulo Guedes diz que é natural existir dúvidas sobre agenda de privatizações
- Bolsonaro diz que vai propor criação de urna auditável
- Ao criticar visões extremas de Bolsonaro, Economist volta a chamar candidato de ameaça
- Marconi Perillo, ex-governador de Goiás, é preso pela PF
- Bolsonaro dispara: Sua hora vai chegar, marmita de corrupto preso
- Datafolha: Bolsonaro vence 2º turno com 58% dos votos válidos; Haddad fica com 42%
- Mourão rebate Bolsonaro: tenho minhas opiniões
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.