CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUARTA-FEIRA, 26 DE SETEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Mulher é presa por agredir namorado e policial dentro de delegacia, em Jaraguá
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Na Suíça, pedreiros estudam por até 4 anos e ganham R$ 20 mil por mês
Data Publicação:24/09/2018
Se no Brasil o ensino superior é um requisito básico para conseguir um bom emprego, em outros países do mundo essa já não é a realidade. Na Suíça, por exemplo, apenas um terço dos estudantes fazem faculdade, e isso não é uma coisa ruim. Desempenhando funções de pedreiros e marceneiros, eles faturam um bom dinheiro.

No país, o salário mensal de pedreiros é de, em média, R$ 24 mil, muito mais do que os R$ 1,6 mil pagos no Brasil. Marceneiros, por sua vez, recebem $ 22,2 mil em média, enquanto por aqui o salário é de R$ 1.550. Já os mecânicos recebem cerca de R$ 24,9 mil, mais do que os R$ 1.530 pagos em território brasileiro. Mas, diferente daqui, o nível de estudo desses profissionais é grande.

Entenda

Apesar de a faculdade não ser uma realidade para todos os cidadãos suíços, isso não significa falta de formação. Um levantamento realizado pela Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Econômica (OCDE) mostra que o país tem um dos maiores percentuais de adultos qualificados por meio de ensino profissionalizante.

O país oferece cursos profissionalizantes para mais de 250 profissões, com duração de dois a quatro anos e tem como um dos benefícios a rapidez com que os estudantes são inseridos no mercado de trabalho. As aulas incluem treinamentos em construtoras, mercados, lojas, hospitais, restaurantes e laboratórios. Ao concluir o curso, o estudante recebe uma oferta de emprego no local onde “estagiou”, além de um diploma que permite realizar outras especializações.

O resultado é promissor: atualmente, a Suíça tem uma taxa de desemprego entre a população jovem de apenas 4%, enquanto a taxa de evasão escolar é uma das menores do mundo.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Atentados em igrejas deixam 9 mortos e ao menos 40 feridos na Indonésia
- Irã faz giro diplomático para salvar acordo nuclear
- Israel fecha único ponto de entrada de mercadorias a Gaza
- Pyongyang vai desmantelar instalações nucleares
- Morte de sete pessoas é pior chacina da Austrália em 22 anos
- Cientista australiano de 104 anos morre na Suíça por suicídio assistido
- Os principais ataques israelenses na Síria desde 2013
- Líder supremo do Irã diz que Trump será comido por cobras e formigas
- Desigualdade é a face da globalização, diz secretário-geral da ONU
- Alemanha coloca duas torres da Ponte de Remagen à venda
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.