CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
TERÇA-FEIRA, 23 DE OUTUBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Para Alexandre de Moraes, defesa de fechamento do STF é ‘absurdo atentado verbal’
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Tunísia acolherá 40 migrantes bloqueados em barco
Data Publicação:29/07/2018
As autoridades tunisianas decidiram, "por razões humanitárias", acolher os 40 migrantes resgatados por um navio comercial, sem acesso para atracar na costa de Zarzis há duas semanas.

"Por razões humanitárias, acolheremos os 40 migrantes", anunciou neste sábado à noite o primeiro-ministro Youssef Chahed, em plenária no Parlamento dedicada a uma moção de confiança dirigida ao ministro do Interior.

O "Sarost 5", um navio de abastecimento com bandeira tunisiana, espera há duas semanas perto de Zarzis.

"Apesar do atraso na hora de tomar a decisão, estamos contentes e aliviados", reagiu o capitão da embarcação, Ali Hajji, acrescentando que os migrantes - entre eles duas grávidas - "estão muito cansados e querem chegar à Tunísia".

O capitão ainda não recebeu a autorização para atracar no porto de Zarzi, mas "isso não vai demorar, após o anúncio do chefe de governo".

Oriundos da África Subsaariana e do Egito, os migrantes partiram da Líbia a bordo de um bote inflável, mas ficaram perdidos no mar por cinco dias até que o navio "Caroline III", enviado pelo centro de socorro de Malta, encontrasse o grupo.

O navio entrou em contato com as Guardas Costeiras da Itália, da França e de Malta, que "se recusaram a acolher os resgatados, alegando que os portos mais próximos estavam na Tunísia", lamentaram várias ONGs tunisianas em um comunicado.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- China quer lançar até 2020 “lua artificial” para iluminação noturna
- Caçadores de nazistas: casal é condecorado pelo governo francês
- Paul Allen, cofundador da Microsoft, morre de câncer, diz família
- ONGs alertam que fome alcança níveis alarmantes em 60 países
- Óvnis são avistados por 6 aviões comerciais no norte do Chile
- Idosa de 96 anos tinha fortuna de centenas de milhões - e nem mesmo sua família sabia
- Anvisa suspende a fabricação e venda de cosméticos
- Tigre branco mata cuidador em zoológico no Japão
- Obra de arte vendida por US$ 1 milhão se autodestrói após a compra
- Preso por estupro, ex-campeão mundial de boxe paga fiança de R$ 400 mil
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.