CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 19 DE NOVEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Pesquisadores criam IA capaz de burlar sistemas de impressão digital
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Maduro vota e diz que há campanha feroz contra a Venezuela
Data Publicação:20/05/2018
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi o primeiro a votar no colégio eleitoral no qual está inscrito, no oeste de Caracas, em um pleito nos qual busca a reeleição e que não conta com a participação da grande maioria da oposição, que o considera fraudulento.

“Fui o primeiro votante da pátria (…) sempre em primeiro nas batalhas pela nossa soberania, pelo direito à paz”, declarou o líder chavista em entrevista coletiva depois de emitir seu voto.

Maduro, que chegou ao local acompanhado da esposa, Cilia Flores, e parte dos membros de seu governo, classificou a jornada de votação como “um dia de celebração e participação, uma festa eleitoral”. Ele também pediu aos venezuelanos para, nas urnas, “provar ao mundo que a Venezuela deve ser respeitada, é uma república soberana, livre e independente”.

“Que ninguém perca este dia histórico (…) cuidemos todos dos centros eleitorais, cuidemos para que tudo aconteça em paz (…) digo a todos os venezuelanos: o seu voto decide, votos ou balas, pátria ou colônia, paz ou violência, independência ou subordinação”, bradou.

O presidente venezuelano disse acreditar que haverá “uma muito boa participação” de eleitores neste domingo, e que ao final os resultados serão “reconhecidos pelo povo”, que “irá defendê-los;”.

Maduro alegou novamente a existência do que chamou de uma “campanha feroz” por parte de vários países para evitar a realização do pleito e pediu à comunidade internacional para “não antecipar posição” de rejeição a um resultado eleitoral que ainda não é conhecido.

Também disputarão o cargo de presidente o ex-governador Henri Falcón – um chavista dissidente que não apoiou a decisão da MUD de não participar e inscreveu candidatura -, o ex-pastor evangélico Javier Bertucci e o engenheiro Reinaldo Quijada.

Nesta jornada, para a qual a principal coalizão opositora pediu que os eleitores não votem, também serão eleitos os membros dos conselhos legislativos dos 23 estados e dos 335 municípios.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- EUA elogiam postura de Bolsonaro sobre o Mais Médicos com Cuba
- Brasileiro é condenado a prisão perpétua por matar tios e primos na Espanha
- Encontrada nova superterra próxima ao nosso planeta
- Assassinato interrompe sessão em Congresso do México
- China quer lançar até 2020 “lua artificial” para iluminação noturna
- Caçadores de nazistas: casal é condecorado pelo governo francês
- Paul Allen, cofundador da Microsoft, morre de câncer, diz família
- ONGs alertam que fome alcança níveis alarmantes em 60 países
- Óvnis são avistados por 6 aviões comerciais no norte do Chile
- Idosa de 96 anos tinha fortuna de centenas de milhões - e nem mesmo sua família sabia
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.