CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SÁBADO, 23 DE MARÇO DE 2019
ULTIMA NOTÍCIA:
Supremo sinaliza maior correção para precatórios
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Parlamento chinês elege Xi para segundo mandato
Data Publicação:17/03/2018
Xi Jinping foi reeleito neste sábado como presidente da China, para um segundo mandato de cinco anos, com o voto unânime dos delegados.

Menos de uma semana após conseguir uma reforma constitucional que lhe permitirá se reeleger indefinidamente, Xi Jinping, de 64 anos, obteve o voto dos cerca de 3 mil delegados presentes na sessão anual da Assembleia Nacional Popular (ANP).

Xi Jinping se torna assim o presidente chinês com o maior poder em quase três décadas e terá condições de permanecer no comando do país além do período do atual mandato, que termina em 2023.

No domingo passado, a ANP emendou a Constituição que estabelecia um limite de dois mandatos presidenciais de cinco anos cada.

A emenda também introduziu na Constituição o "Pensamento Xi Jinping" e, em seu artigo primeiro, o "papel dirigente" do Partido Comunista Chinês (PCC).

Diante da reeleição certa de Xi pela Assembleia Nacional Popular, controlada pelo Partido Comunista, as expectativas recaíam sobre se seu ex-responsável pela luta contra a corrupção Wang Qishan ocuparia a vice-presidência, o que de fato ocorreu.

Wang obteve 2.969 votos a favor e apenas um contrário.

Com Wang como vice-presidente, Xi ganha um aliado formidável para cimentar sua autoridade, no momento em que caminha para se tornar o líder chinês mais poderoso desde Mao Tsé-Tung (1949-1976).

Wang, 69 anos, é conhecido internacionalmente por seu trabalho como representante comercial da China e os analistas acreditam que ajudará Xi a administrar as relações com os Estados Unidos, cada vez mais tensas diante da ameaça de uma guerra comercial, agravada com a recente decisão do presidente Donald Trump de tarifar as importações de alumínio e aço.

O novo braço direito de Xi liderou a cruzada contra a corrupção na China, ao presidir a Comissão Central de Inspeção Disciplinar, que puniu 1,5 milhão de funcionários públicos nos últimos cinco anos, desde pequenos quadros até líderes regionais e generais.

Wang substituirá Li Yuanchao, um político relativamente modesto.

Segundo Hua Po, um especialista em política chinesa, Wang tem "talento e capacidade" e sua eleição como vice-presidente está "orientada em consolidar seu poder".

"Xi já é um homem muito poderoso. O problema é que tem pouca gente que lhe seja leal e competente. Então precisa conservar Wang para ter tempo para cultivar mais gente de talento", avaliou Hua.



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Trump anula sanções contra Pyongyang por apreço a Kim Jong Un
- Guaidó chega a Bogotá para aumentar pressão contra Maduro na Venezuela
- Observadores da ONU para cessar-fogo no Iêmen chegam a Hodeida em meio a novos confrontos
- Itamaraty não recebeu notícias de brasileiros vítimas de tsunami
- Trump rejeita acordo para evitar paralisação do governo
- Devedor pode ter passaporte e CNH bloqueados até quitar os débitos; entenda
- Goodyear fecha fábrica na Venezuela e paga funcionários com pneus
- Graças à sonda InSight, a humanidade agora pode ouvir os ventos de Marte
- Trump e Xi Jinping concluíram trégua comercial
- Novo protesto contra o governo mergulha França no caos
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.