CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
TERÇA-FEIRA, 25 DE SETEMBRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Na Suíça, pedreiros estudam por até 4 anos e ganham R$ 20 mil por mês
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Japão recorda vítimas do tsunami e catástrofe nuclear de 2011
Data Publicação:11/03/2018
O Japão parou neste domingo às 14H46 (2H46 de Brasília), momento exato do violento terremoto de 11 de março de 2011, que provocou um tsunami e a catástrofe nuclear na central de Fukushima, uma tragédia que deixou quase 20.000 mortos ou desaparecidos.

Como acontece todos os anos, uma cerimônia oficial aconteceu em Tóquio, na presença do primeiro-ministro Shinzo Abe, do príncipe Akishino - filho mais novo do imperador Akihito - e de sua esposa Kiko, ambos como representantes do casal imperial, e de sobreviventes da tragédia.

Nas áreas afetadas, na região nordeste do país, os moradores também respeitaram um minuto de silêncio.

"Expresso minhas condolências aos que perderam seus familiares e seus amigos queridos", declarou Abe, antes de passar a palavra aos moradores.

No grupo de sobreviventes estava Hideko Igarashi, uma mulher de 70 anos e nascida em Fukushima. Em um discurso emocionado, ela pediu que "nunca esqueçam o que aprendemos do desastre".

"Me agarrei a uma árvore, mas fui arrastada pela onda. Meu marido foi levado, gritou 'Hideko' três vezes", disse. "Lamento não ter pedido para que fugisse antes".

Um total de 18.434 pessoas morreram ou desapareceram no terremoto de 9 graus de magnitude e no posterior tsunami que devastaram o país há sete anos.

Além disso, mais 3.600 pessoas, em sua maioria de Fukushima, faleceram em consequência da catástrofe, por doenças ou suicídio.

O acidente da central nuclear de Fukushima é o mais grave da história desde a tragédia de Chernobyl, na União Soviética em 1986, apesar de oficialmente não ter provocado mortes diretas. Também deixou mais de 73.000 deslocados, que foram obrigados a abandonar suas casas por causa da radiação.

Após a cerimônia em Tóquio, os 820 presentes foram convidados a depositar uma flor branca diante de um monumento ao lado da bandeira japonesa com a frase: "Às almas das vítimas da grande catástrofe do leste do Japão".


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Na Suíça, pedreiros estudam por até 4 anos e ganham R$ 20 mil por mês
- Hacker de Taiwan compra 502 iPhones por US$ 0,03
- A história por traz da foto desse estudante que era rejeitado na escola vai te emocionar
- Garotinha é declarada desaparecida e é encontrada no lugar mais inesperado
- Homem decide comprar ônibus para resgatar animais de furacões nos EUA
- SpaceX escolhe a primeira pessoa a dar uma volta ao redor da Lua com o BFR
- Observatório próximo a base Roswell é interditado sob circunstâncias misteriosas
- Ex-assessor de Trump é condenado a 14 dias de prisão por mentir sobre Rússia
- Bispos suíços se comprometem a obrigar denúncias de abusos sexuais contra adultos
- Temor generalizado de massacre em eventual ofensiva síria em Idlib
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.