CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 25 DE MARÇO DE 2019
ULTIMA NOTÍCIA:
Supremo sinaliza maior correção para precatórios
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Parlamento venezuelano solicita à OMS ajuda humanitária de saúde
Data Publicação:16/02/2016
Washington, Estados Unidos - O parlamento da Venezuela solicitará nesta terça-feira (16/2) junto à Organização Mundial de Saúde (OMS) em Washington o envio de ajuda humanitária ao país, alegando escassez de remédios e produtos médicos - informou o deputado Luis Manuel Olivares. "Viemos (...) solicitar formalmente a ajuda humanitária para a Venezuela em termos de remédios e material médico cirúrgico", disse Olivares à AFP. Ele é presidente da subcomissão de Saúde da Assembleia Nacional, controlada pela oposição. Qualquer envio de assistência internacional para a Venezuela irá necessitar de um acordo entre a OMS e o governo venezuelano, "mas estamos cumprindo nossa responsabilidade e com o mandato que a Assembleia me deu para fazer a solicitação", disse o parlamentar e também médico, que está na capital dos Estados Unidos. "Já ficará nas mãos da OMS fazer o envio e do governo venezuelano aceitar ou não aceitar", afirmou. O bloco de oposição, que controla dois terços da Assembleia Nacional desde este ano, concordou em janeiro em exigir do presidente Nicolas Maduro uma declaração de "crise humanitária em saúde", alegando falhas graves de atenção pela falta de medicamentos e equipamentos médicos essenciais que atinge 90% dentro da "pior crise da história". Olivares disse que entregará relatos, estudos e estatísticas à OMS, mostrando a deterioração dos índices de saúde. "Hoje morrem venezuelanos por falta de remédios e produtos médicos em hospitais públicos", disse o deputado, que estima que os níveis de escassez tenham dobrado nos últimos três anos com a queda nas importações no país petroleiro, afetado pelos baixos ingressos. Olivares também denunciará o "sequestro" do escritório da OMS em Caracas por parte de sua diretora, Celia Riera, já que, segundo ele, não atende às reivindicações e alegações da oposição e é tendenciosa para o governo de Maduro. "É uma cubana que atende ao governo", afirmou.


Fonte:france presse



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Trump anula sanções contra Pyongyang por apreço a Kim Jong Un
- Guaidó chega a Bogotá para aumentar pressão contra Maduro na Venezuela
- Observadores da ONU para cessar-fogo no Iêmen chegam a Hodeida em meio a novos confrontos
- Itamaraty não recebeu notícias de brasileiros vítimas de tsunami
- Trump rejeita acordo para evitar paralisação do governo
- Devedor pode ter passaporte e CNH bloqueados até quitar os débitos; entenda
- Goodyear fecha fábrica na Venezuela e paga funcionários com pneus
- Graças à sonda InSight, a humanidade agora pode ouvir os ventos de Marte
- Trump e Xi Jinping concluíram trégua comercial
- Novo protesto contra o governo mergulha França no caos
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.