CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2019
ULTIMA NOTÍCIA:
Kings Sneakers apresenta coleção outono/inverno 2019
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Mundo
  Mundo
 
Líder iraniano garante que Ocidente não dobrará o Irã
Data Publicação:25/11/2014

O guia supremo do Irã, Ali Khamenei, que tem a palavra final sobre a questão nuclear, declarou nesta terça-feira que o Ocidente não irá dobrar o Irã nas negociações que foram prolongadas por falta de acordo.

"Na questão nuclear, os arrogantes fizeram de tudo para colocar a República Islâmica de joelhos, mas não conseguiram e não terão sucesso" em fazê-lo, afirma um tuíte na conta oficial do líder iraniano.

As autoridades iranianas se referem comumente a governos ocidentais como "arrogantes".

Esta é a sua primeira reação à decisão das grandes potências (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, China, Rússia e Alemanha) e do Irã em prorrogar por sete meses, até 1º de julho, as negociações sobre o programa nuclear de Teerã após uma semana de duras discussões ininterruptas.

O presidente do Irã, Hassan Rohani, considerou na segunda-feira que as negociações levariam a um acordo final, mas garantiu que seu país não cederia sobre o seu programa nuclear.

O grupo "5+1" e o Irã procuram acabar com doze anos de tensões internacionais sobre o programa nuclear de Teerã.

As grandes potências exigem a redução das capacidades nucleares iranianas, a fim de garantir o uso puramente pacífico do programa.

Já Teerã afirma que seu programa é pacífico e reivindica seu direito pleno à indústria nuclear civil, apelando para o levantamento das sanções econômicas ocidentais.




Fonte:AFP



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Trump anula sanções contra Pyongyang por apreço a Kim Jong Un
- Guaidó chega a Bogotá para aumentar pressão contra Maduro na Venezuela
- Observadores da ONU para cessar-fogo no Iêmen chegam a Hodeida em meio a novos confrontos
- Itamaraty não recebeu notícias de brasileiros vítimas de tsunami
- Trump rejeita acordo para evitar paralisação do governo
- Devedor pode ter passaporte e CNH bloqueados até quitar os débitos; entenda
- Goodyear fecha fábrica na Venezuela e paga funcionários com pneus
- Graças à sonda InSight, a humanidade agora pode ouvir os ventos de Marte
- Trump e Xi Jinping concluíram trégua comercial
- Novo protesto contra o governo mergulha França no caos
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.