CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
QUINTA-FEIRA, 18 DE JANEIRO DE 2018
ULTIMA NOTÍCIA:
Seul propõe a Pyongyang nova reunião para conversar sobre Jogos de Inverno
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / América do Sul
  América do Sul
 
Bolívia denuncia complô de EUA contra Morales e negócios chineses na região
Data Publicação:16/02/2015
A Bolívia denunciou nesta terça-feira um complô dos EUA para afetar a imagem do presidente Evo Morales e prejudicar os negócios milionários de empresas chinesas, razão pela qual estuda a expulsão do máximo representante diplomático de Washington no país.

O ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, afirmou em uma coletiva de imprensa que este é o pano de fundo das denúncias feitas há duas semanas pelo jornalista Carlos Valverde sobre a relação entre o presidente Evo Morales e sua ex-companheira sentimental Gabriela Zapata. Zapata, uma jovem advogada, é atualmente gerente comercial da empresa chinesa CAMC que obteve contratos na Bolívia de 560 milhões de dólares e que, segundo a oposição, não seguiu o trâmite regular.

"Trata-se de desacreditar o investimento chinês na Bolívia, na América Latina, este é um ataque desleal dos Estados Unidos, certamente contra a Bolívia", afirmou Quintana, que argumentou que a polícia de Morales gera grande incômodo em Washington.
As acusações foram registradas às vésperas de um referendo crucial que será realizado no domingo na Bolívia para aprovar ou rejeitar uma reforma constitucional que permitirá a Morales candidatar-se a uma nova reeleição quando seu mandato terminar, em 2020.


Fonte:Yahoo.com



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- Embaixador dos EUA no Panamá deixa cargo por discordar de Trump, diz emissor
- Governo e oposição venezuelana iniciam diálogo na busca de um acordo
- Brasil poderá perder até US$ 5 bilhões com calotes de Caracas
- Argentina designa bancos para emissão de bônus por até US$ 12,5 bilhões
- Bolívia denuncia complô de EUA contra Morales e negócios chineses na região
- Venezuela: emergência permite a governo se apropriar de bens do setor privado
- Bomba: ministro venezuelano que veio ao Brasil armado treina exército cubano de 20 mil homens
- Jornalista que noticiou morte de promotor na Argentina se refugia em Israel
- Paraguai elogia apoio do Brasil após libertação de jovem sequestrado
- FARC dizem a militares colombianos que 2015 "será decisivo para a paz"
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Folha do Brasil - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2014.